Salvador, 02 de dezembro de 2016

Eis um esportista – e humano

Data: 02/12/2016
14:29:37

Surpreende – não poderia deixar de ser assim, até pelo ineditismo – a decisão de Nico Rosberg de abandonar a Fórmula 1 menos de uma semana depois de ter conquistado, pela primeira vez, o título mundial.

Num segmento em que as diferenças são de milésimos de segundo e os egos, infinitamente gigantescos, um piloto, categoria que ao comum dos mortais se assemelha a extraterrestres imperscrutáveis, dá um saudável sinal de humildade.

Não, ele não quer, aos 31 anos, curtindo as delícias de um casamento feliz do qual tem uma filha de um ano e, digamos, sem problemas financeiros, continuar expondo-se numa profissão de “malucos” apenas para bater recordes.

Foi um tapa na cara desses que esperam do esportista a entronização do sacrifício como ideal de vida e estão até hoje pensando em quantos campeonatos e vitórias teria Ayrton Senna se não tivesse morrido.

Na nota em que comunica sua saída, depois de agradecer a todos que o ajudaram a chegar “ao topo”, o grande campeão conclui: “Vou virar a próxima esquina da vida e ver o que está disponível para mim”.



Contradições sobre o ópio do povo

Data: 02/12/2016
14:27:04

Em certos meios, se você disser que a ditadura do proletariado já era, pode até ser acusado de intolerância religiosa.



Se arrependimento matasse...

Data: 02/12/2016
14:26:32

De um eleitor sincero: “Votei em Geddel Vieira Lima para governador e senador. Hoje não votaria nem para síndico do La Vue”.



AAGU

Data: 02/12/2016
14:25:55

A propósito, se nada tivesse acontecido e o “pedido” de Geddel fosse para outra instância, teríamos um novo órgão: a Advocacia Administrativa Geral da União.



Em corda curta

Data: 02/12/2016
14:25:09

De R$ 85 milhões em emendas parlamentares – recursos a que os deputados estaduais têm direito constitucional para obras e serviços em regiões que indicarem –, o governo do Estado só liberou 2%.

Apesar do estardalhaço da divulgação, não é novidade. Entra legislatura, sai legislatura, o choro é o mesmo, pois governo que se preza mantém a Assembleia em corda curta para folgar no momento apropriado.

Mentira maior no âmbito das coisas públicas, só o ponto facultativo, embora o jornalista Wellington Nascimento defenda exemplo mais contundente: a reposição de dias não trabalhados.



Não serão os criminosos a escrever a lei

Data: 01/12/2016
14:47:46

Poderíamos nos esquivar de comentar a tentativa de uma quadrilha encastelada em cada uma das Casas do Congresso Nacional de reinventar o sistema jurídico – porque suas pernas são curtas e é sempre bom, a esta altura da vida, evitar pressão sobre os neurônios.

A nação, desinformada sobre temas mais complexos, fica perdida em meio à intensa discussão, sem saber que desde os primórdios da civilização é assim: os crimes acontecem, cabendo a uma plêiade seleta e legítima farejá-los e denunciá-los à Justiça.

As partes acusadas podem defender-se plenamente, jamais querer restringir o direito do Estado, representado por promotores e procuradores, de expor os supostos fatos com a clareza que achar necessária.

A partir daí, cabe a uma instância superior – ou várias – a decisão. Serão os juízes e os ministros que dirão se aquela causa é ou não procedente, e até estabelecem, em geral, parâmetros para ações de reparação.

Sabemos que “erros judiciários” ocorrem, mas não na proporção desejada pelos congressistas brasileiros – perdão, por enquanto só deputados, o Senado está em movimento adverso – para justificar a cafajestagem legislativa em curso.

Há um longo caminho até a aprovação de projetos restritivos do poder de investigação e julgamento. E mesmo que se concretizem é matéria de fácil rejeição pelo Supremo Tribunal Federal por absoluta inconsistência doutrinária e carência de jurisprudência histórica.

Não são os bandidos que devem dizer como as pessoas da lei se comportarão. Erros, excessos, injustiças, tudo que contrariar o direito e a democracia deve ser combatido, mas não ao sabor das artes de organizações criminosas que se atrevem a tutelar a cidadania.



Nilo indica que irá à urna contra adversários

Data: 30/11/2016
17:34:25

Nas últimas eleições de presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Marcelo Nilo (PSL) colocava as condições em que se apresentaria, com a ressalva de que não participaria de um bate-chapa e só disputaria como candidato de consenso.

No entanto, a nota divulgada ontem à imprensa, depois que outros nomes foram lançados – Luiz Augusto (PP) e Angelo Coronel (PSD) –, demonstra que desta vez vai ser diferente: “Sou candidato à presidência da Assembleia Legislativa de minha terra”, declarou Nilo em tom solene, sem ter fechado o entendimento amplo que costuma fazer.

O presidente, que busca seu sexto mandato consecutivo, disse que estava pronto para retornar ao plenário no próximo ano, mas que, ouvindo “as ponderações da maioria dos parlamentares”, decidiu concorrer, comprometendo-se a “persistir na postura de magistrado” que o teria caracterizado nestes dez anos.



Questão vai de Rui Costa a ACM Neto

Data: 30/11/2016
17:32:05

Nesta contenda da Assembleia, para a qual faltarão, a partir de amanhã, exatamente dois meses, muitos ingredientes se intrometem. As eleições de 2018 são o principal: ao governador Rui Costa, para navegar com tranquilidade nestes dois anos, interessa um presidente que, sem favor, se chama Marcelo Nilo.

Nilo, mais uma vez, está convicto de que o comando do Legislativo é essencial para chegar à chapa majoritária, e parte para o confronto. Nas circunstâncias atuais, poderia mesmo negociar a vaga caso se reelegesse. Entretanto, encontra, de forma inédita, motivação e oportunidade para um adversário consistente, que não se presume quem será.

Na avaliação discreta de um deputado que Por Escrito, por sua amizade com Nilo, define como insuspeito, “a questão não é externa, é interna, da Casa”, ou seja, diz respeito aos interesses de um grupo, não mensurado com exatidão, que deseja nova configuração na distribuição do poder.

De outro lado, com grande potencial de influência, está o prefeito ACM Neto na condição de possível candidato a governador, ou mesmo como maior liderança da oposição estadual. Se tivesse não um aliado, que seria demais, mas alguém mais bondoso que Nilo na presidência da Assembleia, poderia manobrar contra seu principal alvo – Rui Costa.



Nomes diversos para construir um adversário

Data: 30/11/2016
17:29:28

Normalmente, deputados anunciam que disputarão a presidência da Casa como uma espécie de autovalorização pública, que nenhum prejuízo traz se fecharem um acordo com postulante mais forte, ao contrário.

São exemplos Marcell Moraes (PV) e Sargento Isidório (PDT), franco-atiradores, só que o segundo pelo menos tem experiência com armas. Ambos se valem da moda sinuosa que está pegando nacionalmente, de que “é um assunto do Legislativo”.

É diferente quanto aos deputados Luiz Augusto e Coronel, representantes de segmentos políticos fortes, que têm como líderes, respectivamente, o vice-governador João Leão e o senador Otto Alencar.

Um experiente deputado governista, que não é ligado a nenhum dos dois grupos, considera que se trata de “balões de ensaio” para medir a repercussão entre os parlamentares. Talvez seja, mas o fato é que na lista dos 63 despontam poucos com capacidade para compatibilizar os pensamentos em conflito.



Livro registra homenagens a Fidel

Data: 30/11/2016
17:27:40

O Consulado Geral de Cuba para o Nordeste, na Rua Lord Cochrane, 66, Barra, manterá até domingo um livro de condolências para registrar as homenagens do povo baiano a Fidel Castro, líder histórico do país, falecido sexta-feira.

A casa estará aberta das 9 às 18 horas até sábado, e no domingo, das 9 ao meio-dia. Neste dia, às 9 horas, haverá uma caminhada até o Porto da Barra, a cerca de 100 metros, para colocação de flores no mar.



Quanto tempo se perdeu

Data: 30/11/2016
17:22:05

Hoje, quando se anuncia o apoio de 31 vereadores, num plenário de 43, a Léo Prates, vale recordar nota deste blog em 25 de outubro – há um mês e cinco dias.

Sob o título “Efeito Bruno Reis”, um trecho dizia: “Apenas um palpite: o presidente da Câmara Municipal será do DEM – e será Léo Prates, vice-líder e amigo do prefeito ACM Neto”.



Prates atrai adversários de Neto

Data: 28/11/2016
09:53:01

O vereador Léo Prates (DEM), em sua campanha pela presidência da Câmara Municipal, acumulou nos últimos dias dois apoios dos mais emblemáticos: o vereador José Trindade (PSL) e os três da bancada do PTN – Carlos Muniz, Toinho Carolino e Sidninho.

O inusitado do quadro é que tanto Trindade quanto o presidente do PTN, deputado Bacelar, são desafetos do prefeito ACM Neto, que é, digamos, o líder político de Prates e não admite que ninguém diga que ele está influenciando na eleição.

É certo que tem peso considerável na situação a tentativa do presidente Paulo Câmara (PSDB) de perpetuar-se na cadeira. A própria reeleição já foi um golpe na tradição da Casa, e muitos agora se unem contra o tri.



Razões pessoais

Data: 28/11/2016
09:51:57

Citado ontem por este blog na matéria sobre a sucessão do presidente Marcelo Nilo na Assembleia Legislativa, o deputado Adolfo Menezes (PSD) entrou em contato para a observação seguinte:

“Realmente, fui sondado para a presidência, o que para mim é uma honra muito grande, mas não pude aceitar porque não me sentiria bem disputando contra Marcelo, que é meu amigo”.



Parecer muito aguardado

Data: 28/11/2016
09:51:05

Só para ver a dureza do corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Herman Benjamin, relator da ação contra a chapa Dilma-Temer no TSE, foi o único ministro na corte a votar pela manutenção da prisão domiciliar do ex-governador Anthony Garotinho, relaxada pelos demais.



Prejuízo sem Geddel é irrecuperável para Neto

Data: 28/11/2016
09:50:01

É apenas um cumprimento de formalidade a declaração do prefeito ACM Neto de que a saída de Geddel Vieira Lima do ministério não afetará a articulação de Salvador com o governo federal nem a força do PMDB na Bahia.

Claro que ele continuará amigo do presidente Temer e muito poderá obter nessa condição. Mas seria diferente se estivesse transitando livremente, com autoridade, pelos mais importantes gabinetes palacianos e ministeriais.

Perdem muito, por conseguinte, os quase 50 prefeitos eleitos pelo PMDB no interior, além dos aliados, que não terão um anjo da guarda no Planalto zelando por seus encaminhamentos.



Articulação só por telefone é impossível

Data: 28/11/2016
09:48:41

Em política, como se sabe, os espaços vazios são logo ocupados e, em geral, o novo titular tem outros interesses, quem sabe até opostos aos que vinham sendo defendidos.

Até a suposta colaboração que, segundo a imprensa, o ex-ministro continuaria dando ao governo no Senado e na Câmara, é fictícia, porque há coisas que não se resolvem por e-mail ou telefone, só pessoalmente.

As palavras do prefeito de Salvador buscam ocultar uma preocupação: será preciso reforçar seriamente a estratégia no interior para compensar a perda, e mesmo Geddel, a esta altura, parece queimado para a chapa majoritária.



Temer toma a ofensiva contra efeito negativo

Data: 28/11/2016
09:47:07

A fervura foi um pouco abrandada pela entrevista que concedeu, ontem, praticamente sepultando a proposta da anistia aos crimes de caixa 2, mas o presidente Temer não deverá escapar tão facilmente aos efeitos do caso Geddel, em que a cobrança continua.

Independentemente do apartamento que nunca existiu nem existirá, é muito improvável que o presidente, de longa e íntima amizade com Geddel, com ele não tenha absolutamente nenhum traço de afinidade ainda desconhecido.

Quando Geddel disse que, se ele era o problema, “acabou o problema”, não foi por nenhum altruísmo. Ele resistiu uma semana. A frase resignada após demitir-se já visava isentar Temer – inutilmente, porque sua própria referência implica a responsabilidade presidencial no episódio.



Comissão de coragem

Data: 28/11/2016
09:45:44

A Comissão de Ética Pública continuará o processo sobre Geddel Vieira Lima.

Será a primeira vez, em muitos anos, em que o órgão concluirá que o acusado, já demitido, não poderia ficar no cargo.



Eterna perseguição

Data: 28/11/2016
09:44:11

Satisfeito de verdade deve estar o velho ACM, onde se encontre. Se é que de lá não mexeu os pauzinhos para tirar Geddel de jogada.



Melhorou

Data: 28/11/2016
09:43:29

Há muitas referências negativas ao fato de Temer ter perdido um ministro por mês desde que assumiu o poder. Mas no começo era um por semana.



Votos da oposição podem decidir na Assembleia

Data: 27/11/2016
18:34:49

A posição do prefeito ACM Neto poderá ter peso decisivo na eleição de presidente da Assembleia Legislativa, onde há uma movimentação para impedir que o deputado Marcelo Nilo chegue ao sexto mandato consecutivo.

Os partidos ligados ao prefeito têm 21 deputados, dos quais pelo menos 18, segundo avaliação no meio político, seguiriam sua orientação, o que é uma fatia importante, pois um eventual candidato com esse apoio precisaria amealhar apenas 14 votos entre os 45 parlamentares restantes.

O nome que desponta com mais solidez é o do deputado Luiz Augusto (PP), que contaria, para começar, com cinco votos do seu partido e seis do PSD, sete se a vice-prefeita eleita de Lauro de Freitas, Mirela Macedo, preferir assumir a cadeira a que tem direito na Assembleia como suplente.

A fé do parlamentar na participação do PSD baseia-se num acordo que teria sido acertado com o postulante do partido, Angelo Coronel, para que fosse lançado o nome que encontrasse melhor trânsito no plenário, quesito em que – dizemos nós – Luiz Augusto parece ter vantagem.

Quanto à bancada oposicionista, o apoio a outro candidato seria uma mudança radical de postura, uma vez esteve com Marcelo Nilo nas eleições anteriores, exceto a de 2009, quando lançou o deputado Elmar Nascimento, derrotado por 41 a 22.



Candidato diz que é da base e tem palavra

Data: 27/11/2016
18:32:27

É uma eleição cheia de atipicidades, e uma delas é justamente a diferença entre o PP nacional, que apoia o presidente Temer, e o local, que está com o governador Rui Costa e, inclusive, tem o vice-governador, João Leão.

Por outro lado, especialmente agora que o PMDB se enfraquece na Bahia, ao prefeito Neto interessaria, visando a 2018, um presidente da Assembleia “que não deixasse o governador solto”, na expressão reservada de um deputado – e algum acordo nesse sentido estaria sendo gestado.

Luiz Augusto não vê contradição nem impasse na situação: “Nós votamos contra o impeachment de Dilma, eu já conversei com o governador, somos da base, e eles sabem que minha palavra é cumprida”.



PT desta vez sonha com reeleição de Nilo

Data: 27/11/2016
18:31:02

O parlamentar nega também acordos fora do governo, revelando que tem conversado com deputados da oposição “como “colega”, porque “é uma eleição da Casa”. Para consolidar a vitória, segundo diz, quer “apenas que a bancada do PT não feche questão por nenhum candidato”.

Esta, a propósito, é outra das “surpresas” do presente processo sucessório: o PT, antes contra Nilo e tendo de engoli-lo sempre, hoje torce secretamente por ele, apesar do leque da “base” apresentado pelo líder Rosemberg Pinto.

A questão é que Nilo foi, para os governos petistas, um excelente presidente. Luiz Augusto representaria basilarmente o PP, que “é o medo de Rui”, segundo fonte deste blog, “porque o pessoal tem dinheiro e é independente”.



Nomes alternativos foram descartados

Data: 27/11/2016
18:28:48

Deputado que está no centro das articulações para uma chapa alternativa à Mesa da Assembleia ressalva que “ninguém é contra a pessoa de Marcelo”, mas que, “depois de dez anos, ele age como se fosse o dono da Assembleia”.

Os parlamentares “fizeram as contas” e chegaram à conclusão de que Nilo detém considerável poder, que inclui indicação de conselheiros do TCE, uma secretaria, a presidência de uma empresa pública e ainda todos os cargos principais do Legislativo.

Informa-se nos bastidores que foram apresentadas ao presidente propostas para composição em torno de um nome de sua confiança, que seria o deputado Nelson Leal (PSL) ou o deputado Adolfo Menezes (PSD), mas a fórmula teria sido recusada por Nilo.



A natureza é sábia

Data: 27/11/2016
18:27:27

Se o deputado Antonio Imbassahy não tivesse voltado à zona de influência do carlismo, depois de frívola passagem pela “esquerda”, teria agora pequeno constrangimento pela foto republicada em que aparece ao lado do então governador Antonio Carlos Magalhães.



Pensamento do dia

Data: 27/11/2016
18:26:31

Se ovo fosse caro, seria comida de rico. (José Luis Vilariño)



TSE tem a saída para um futuro incerto

Data: 25/11/2016
13:43:45

A crise não acabou com a queda de Geddel Vieira Lima, ministro de Governo do presidente Michel Temer. Poderia ter acabado no começo, há uma semana, se tivesse ele sido demitido na hora.

Ou não, na hipótese de o propósito do ex-ministro Marcelo Calera ser a dinamitagem do que resta da República, pois aí de, qualquer maneira, ele soltaria a bomba envolvendo Temer.

Como o passado já era, resta pensar no futuro e suspeitar que o Brasil chegou ao limite, palavra, aliás, muito usada hoje neste blog.

Há uma ação contra a chapa Dilma-Temer em via de conclusão no Tribunal Superior Eleitoral. Carta há muito na manga, poderá representar o umbral de um novo cenário.



Um plebiscito: eleições diretas ou indiretas?

Data: 25/11/2016
13:41:48

Dizem que não há saída fora da Constituição. Nesse caso, na hipótese não tão improvável de Temer cair por pecadilhos da eleição, o que só ocorreria necessariamente em 2017, o Congresso elegeria o sucessor.

Está claro que somente tirar Temer e sua penca de ministros “com passagem” não resolveria, porque, se não viesse ele outra vez, certamente a segunda faixa presidencial-tampão seria ostentada por alguém da laia da maioria dos nossos 594 deputados e senadores.

A situação – já se diz há muito tempo – não é boa. As informações, falsas ou verdadeiras, e os interesses, legítimos ou espúrios, conspiram na produção de um quadro que só aos doutos e iluminados é consentido interpretar.

Na presente balbúrdia política, social, econômica e que mais sub-áreas se queira citar, talvez seja o momento de, enfim, chamar o principal interessado, que é o povo, para, em sua soberania, decidir em plebiscito se quer eleições gerais agora ou se prefere levar o barco por mais dois anos.



Crise haverá se for provada pressão de Temer

Data: 25/11/2016
12:02:37

O presidente Michel Temer recusou-se a demitir Geddel Vieira Lima quando o ministro foi acusado de tráfico de influência, e agora ele próprio foi alçado ao protagonismo do episódio.

A história fica clara mesmo ao observador menos atento: Geddel vinha pressionando o ministro Marcelo Calero para obter uma licença irregular que permitisse a construção do prédio onde tem um apartamento.

Como o ministro resistiu, Geddel, como ameaçara, foi ao presidente Temer, que teve duas reuniões com Calero, sendo a última na véspera do pedido de demissão.

Nesse encontro, supostamente gravado por Calero e encaminhado à Polícia Federal, Temer mostrou de que lado estava na contenda, o que o visitante já esperava, tanto que teria ido preparado para o Planalto.

Desiludido com a posição presidencial, Calero tomou a primeira medida: saiu denunciando o fato, possivelmente na esperança de que resultasse na exoneração do seu desafeto.

Não tendo sido esse o desfecho, o ex-ministro da Cultura deu sua cartada final: contou, em depoimento oficial, que Temer abonou a conduta aética de Geddel, e se isso ficar provado, eis uma verdadeira crise.



Calero chamou presidente na chincha

Data: 25/11/2016
11:55:53

O presidente Temer nem mesmo dignou-se de pronunciar o nome de Marcelo Calero na cerimônia de posse do sucessor, Roberto Freire, mas não pôde deixar de emitir nota após saber que seu nome foi parar no Supremo Tribunal Federal e na Procuradoria Geral da República.

O texto, no entanto, chega a ser uma confirmação do roteiro traçado pelo ex-ministro, ao referir-se à audiência solicitada por Temer “para solucionar impasse na sua equipe e evitar conflitos entre seus ministros de Estado”.

Temer, de fato, conforme a nota, “sempre endossou caminhos técnicos para solução de licenças em obras ou ações de governo”, mas somente depois que vieram a público as démarches de Geddel para conseguir seu objetivo.

Também não foi convincente a ideia de avaliação jurídica da questão pela Advocacia Geral da União, pois o que se depreende é que, naquela augusta repartição, seria elaborado um parecer sob encomenda para dizer que o Iphan da Bahia, comandado por um amigo de Geddel, é que está certo.

De causar riso foi o item em que se diz que Temer “trata todos seus ministros como iguais”, quando se confronta a amizade figadal com o velho colega Geddel e a relação formal com um jovem que caiu de paraquedas em seu governo. Os elogios finais dirigidos a Calero parecem destinados a não valer nada.



Plateia oficial

Data: 25/11/2016
11:52:50

A posse de Freire no Ministério da Cultura não teve a presença de artistas.



Pensamento do dia

Data: 25/11/2016
11:51:48

Quem vê chaparia não vê motor nem caixa de marcha.



A quadrilha contra-ataca

Data: 25/11/2016
11:49:18

Transformou-se numa guerra aberta a questão institucional  no Brasil. Acossadas por um movimento restaurador do Ministério Público e de setores do Judiciário, as forças políticas especializadas em sugar o Estado tentam manter seus privilégios e intocabilidade com manobras escancaradas.

A nota assinada por 27 líderes de apoio ao ministro Geddel Vieira Lima foi apenas uma demonstração de "princípios" numa emergência, pois o empenho se vê em todo canto: na urgência para o projeto contra “abuso de autoridade”, na tentativa de desfigurar a proposta chamada “dez medidas contra a corrupção” e na anistia a criminosos.

Mas o país não pode continuar sendo roubado generalizadamente, aprofundando a desassistência e a miséria da grande maioria do povo, o que não mudará se não for desmontada a gigantesca quadrilha. Deve haver um limite para o caráter pacífico e festeiro do brasileiro, e o melhor é que não venha a ser testado.



BLAGUE NO BLOG – Corrupção com teto

Data: 25/11/2016
11:47:09

Desvio de dinheiro público igual ou superior a dez mil salários mínimos será considerado crime hediondo, com penas até 25 anos, após emenda a projeto que originalmente previa o limite em 100 salários mínimos.

O dinheiro que se pode roubar, portanto, para que se cometa um crime sem maiores agravantes, passa de R$ 88 mil para R$ 8,8 milhões.

Já se ouvirá, numa dessas conversas telefônicas que a TV exibe, altas autoridades acertando mais um assalto aos cofres públicos.

Ao saber do interlocutor que “é coisa para 20 milhões”, o outro responde: “Ih, não vai dar. O teto da minha corrupção é oito paus”.



Com abono, Temer incorpora ato de Geddel

Data: 24/11/2016
00:18:05

O presidente Michel Temer assegura que todas as licenças a empreendimentos como o La Vue Ladeira da Barra serão concedidas respeitando os “critérios técnicos” e “normas legais”.

Diante do cada vez mais rumoroso “caso Geddel”, que por isso mesmo permanece no noticiário, Temer age com o pai compassivo, que nem mesmo um puxão de orelhas dá no guri travesso.

Não ficou sozinho em seu empenho. A “base” logo o respaldou com uma impudica declaração assinada por líderes partidários em que foi destacada “a destreza” de Geddel nas ações de bastidores que chamam de “articulação”.

O ministro da Secretaria de Governo, no entanto, e lamentavelmente, porque tinha futuro promissor, é tão indefensável, respeitadas todas as proporções, quanto Lula, para usar um símbolo da política decaída do Brasil.

Para Temer, há uma demolidora relação de causa e efeito: passar a mão na cabeça do seu ministro significa em essência que ele abona os atos praticados e, por consequência, os coloca no rol dos que seria, também, capaz de cometer.



Cacoete

Data: 24/11/2016
00:15:51

Os telefonemas de  Geddel ao presidente e a outro membro da Comissão de Ética Pública foram uma espécie de ato falho: ele não consegue deixar de exercer alguma influência.



Válido apenas para o TJ

Data: 24/11/2016
00:14:54

“O instituto da reeleição está falido, e quem não perceber a dinâmica do que está acontecendo corre o risco de ficar pela estrada”, disse o desembargador Jatahy Fonseca.

Mas ele estava falando sobre sua vitória, para atuar no TRE, contra o colega Mário Hirs, que deixa a corte. Não se crê que tenha pensado no presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo.



A politicagem tem pernas longas

Data: 24/11/2016
00:12:05

A propósito, a Justiça é, possivelmente, a mais nobre das instituições humanas, porque lhe foi dado o papel superior de garantir a harmonia nos conflitos da sociedade.

Sendo assim, não se compreende que, em seus mais altos escalões, a disputa pelo poder se sobreponha ao papel elementar de fazer justiça e haja “grupos” que derrotam outros “grupos”.



Manada em risco

Data: 24/11/2016
00:10:46

A declaração do deputado Onyx Lorenzoni sobre o senador Renan Calheiros, de que “a biografia dele explica ele”, mostra um clima de desagregação de vaca não reconhecer bezerro.

Enquanto isso, o Supremo Tribunal Federal julgará quinta-feira da próxima semana uma das denúncias que pesam contra Renan.

Se virar réu, não poderá, por decisão recente do próprio Supremo, continuar presidente do Senado, cargo que está na linha sucessória da presidência da República.



Articulação fantasma

Data: 24/11/2016
00:06:00

Feliz é o prefeito ACM Neto. Não se mete na eleição de presidente da Câmara, mas o candidato dele é o favorito.




Página Anterior   Próxima Página