Salvador, 29 de março de 2015

Única Miss Universo baiana tem biografia

Data: 28/03/2015
13:55:59

A vida de Martha Vasconcelos será focalizada em livro da coleção Gente da Bahia, da Assembleia Legislativa. O autor é o jornalista Roberto Macedo, que ao lado da Miss Universo 1968 autografará a obra às 17h30 de 9 abril, na Associação Comercial da Bahia.

Era um tempo em que o regulamento do concurso previa “reputação moral ilibada”, o que exigia, por exemplo, que uma “moça” não fosse a uma festa ou qualquer outro lugar senão acompanhada dos pais ou irmãos, voltando diretamente para casa ao seu final.

Quem assim não procedesse tinha, perante a sociedade, “má fama”. Não foi por outro motivo, aliás, que se popularizou a expressão “mãe de miss” – que acompanhava com rigor os movimentos da filha naquele mundo sedutor, onde era permanente o risco de que fosse, digamos, corrompida.

Professorinha, como se chamava, de uma turma de alfabetização, a própria Martha, para disputar, aos 20 anos, o Miss Bahia, enfrentou a resistência de uma família conservadora. Hoje, não há mais concorrentes inocentes, mas a “mãe de miss” continua existindo, agora para “orientar” a carreira.



Quando um nome é sinônimo de beleza

Data: 28/03/2015
11:23:27

Como falar em Martha Vasconcelos e esquecer a xará Marta Rocha, que 14 anos antes, por exceder o padrão de medidas nas coxas, frustrara, com o segundo lugar, o antigo sonho dos baianos pela coroa de Miss Universo?

E nada melhor para ilustrar essa situação que a marchinha de Jairo Simões, professor, economista, personalidade das mais elevadas, e Renato Mendonça, empresário, diretor da TV Itapoan, mas ambos com a simplicidade do povo brasileiro para expressar o sentimento na letra e música.

 “Martinha da Bahia” foi sucesso no Carnaval de 69: “Foi preciso outra Martinha/ sem muitas polegadas, afinal/ pra fazer da baianinha rainha/ do trono da beleza universal./ Todo o Brasil está cantando de alegria/ Martinha, Martinha da Bahia”.



Geilson troca de papel com Solla

Data: 28/03/2015
11:21:53

“Quem tem um correligionário desses não precisa de oposição”, diz o deputado Carlos Geilson (PTN) sobre os ataques do deputado Jorge Solla (PT), ex-secretário da Saúde, à gestão do atual, Fábio Vilas Boas.

Coerente com as próprias palavras, Geilson deixa de ser oposição e sai na defesa do secretário, que “Solla passou a perseguir abertamente, publicamente, como se nos oito anos em que esteve à frente da secretaria a saúde da Bahia tivesse sido uma maravilha”.

Para o deputado, Solla “não desencarnou da secretaria” e quer tratá-la como uma “capitania hereditária”. Inconformado por não ter indicado o sucessor, “faz duras críticas a todas as iniciativas” de Vilas Boas, que “precisa de um tempo” para mostrar seu trabalho.

Deixando a sobriedade vocabular que o marca, tascou: “Em Feira de Santana, o Hospital Clériston Andrade era uma bagunça, uma esculhambação, uma coisa assustadora. Foi também no período de Solla que houve denúncias e mais denúncias de má gestão dos recursos”.



Rir para não chorar

Data: 28/03/2015
13:59:04

Só mesmo num país em que se cultua a falta de memória poderia ocorrer, com a concordância da imprensa, o conflito entre os artistas Edson Gomes e Pablo pela primazia do uso da palavra “sofrência” numa música.

A seguir, alguns versos de “Canto chorado”, com que Billy Blanco participou da I Bienal do Samba, em 1968: “Só mesmo a palavra sofrência/ em dicionário não tem/ mistura de dor, paciência/ que é riso, que é canto também”.

Nosso consolo, como disse o próprio Billy na abertura da obra, que por sinal é a parte mais popular, “o que dá pra rir dá pra chorar”.
 



Em busca da excelência-1

Data: 28/03/2015
11:15:50

Protesta o Diretório Central dos Estudantes da Ufba contra a alegada decisão do reitor João Carlos Salles de negar a Praça das Artes, no campus de Ondina, para uma festa da calouros.

Fez bem sua magnificência, talvez movido pelo nível da programação, que incluía as bandas Reggfus e Forró Eu Laço.

Antigamente, nos show universitários, as atrações musicais eram de Billy Blanco e Gonzaguinha pra cima.



Em busca da excelência-2

Data: 28/03/2015
11:14:26

Em entrevista radiofônica, delegado de polícia relatava o caso de assaltantes a mão armada de Lauro de Freitas que migraram para a prática de fraudes contra a Previdência Social:

“Eles concluíram que não corriam risco de vida, ganhavam mais dinheiro e ainda eram contemplados com penas mais brandas na legislação”.



A lista é grande

Data: 28/03/2015
11:13:18

Pai-de-santo foi ao Palácio do Planalto e disse que a presidente Dilma tem de se proteger de Eduardo Cunha. Esqueceu-se de Renan Calheiros, Geddel Vieira Lima, Pepe Vargas, Aloizio Mercadante, Lula...



Estradas: do “asfalso” de antes aos buracos de hoje

Data: 28/03/2015
11:11:53

Um caso típico de obra eleitoreira foi denunciado na Assembleia Legislativa pelo deputado Pedro Tavares (PMDB): a rodovia BA-156, que liga o entroncamento de Caturama a Botuporã, numa extensão de 25 quilômetros.

“No período eleitoral, andava de vento em popa, com máquinas, trabalhadores. Acabou a eleição, a obra está parada, fizeram cinco, no máximo seis quilômetros de asfalto, a maior parte está totalmente esburacada”, disse o deputado.

De Botuporã a Tanque Novo e daí até o cruzamento de Igaporã com Caetité, “também não existe estrada”, afirmou Tavares, pedindo ao governador Rui Costa que coloque a recuperação do trecho como “prioridade”.

Em resposta, o deputado Paulo Rangel (PT) admitiu que a estrada “precisa ser reconstruída”, mas afirmou que a política para a malha rodoviária nos oito anos do governo Jaques Wagner mudou o cenário na Bahia.

“Foram mais de oito mil quilômetros de estradas recuperadas e de rodovias asfaltadas”, afirmou Rangel,  ressaltando que se usou “asfalto de qualidade, não mais aquele tratamento contra pó que existia anteriormente e que era apresentado como se fosse asfaltamento, um verdadeiro ‘asfalso’, como o pessoal chamava”.



Tocaram-se os corações

Data: 28/03/2015
11:09:30

Com atraso, porque não fizemos postagens ontem, é imperioso registrar o afetuoso abraço entre o prefeito ACM Neto e a senadora Lídice da Mata, na primeira página de A Tarde, captado com grande felicidade pelo fotógrafo Raul Spinassé.




Inicio 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Última