Salvador, 17 de janeiro de 2017

Os supervilões contra a Liga da Justiça

Data: 16/01/2017
09:49:24

Numa tendência que é crescente, ministros do Supremo Tribunal Federal têm sido alvo de pedidos de impeachment. O ano de 2016 marcou o recorde de 11 solicitações contra seis integrantes do colegiado.

Com três pedidos, Luís Roberto Barroso é o líder dessa competição, que questiona como nunca antes a lisura ou a competência da última instância judiciária do país.

Empatados em segundo lugar estão Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes, aos quais até se podem atribuir decisões duvidosas e pouco recato para a magnitude do cargo.

No entanto, identifica-se na maioria das ações o interesse escuso ou a jogada política, ou ambos – o último recurso de uma elite putrefata contra as malhas da lei e as barras da cadeia.



Custo zero

Data: 16/01/2017
09:47:42

Aliás, o grande exemplo é o processo que o ex-presidente Lula move no TRF da 4ª Região contra o juiz Sérgio Moro por abuso do autoridade.

A defesa não vai custar nada ao magistrado: ele constituiu advogada a própria mulher, Rosângela Maria Wolff de Quadros Moro.



A luta continua

Data: 16/01/2017
09:46:55

Na mesma linha, informa-se que o senador Renan Calheiros assumiria em fevereiro a presidência da Comissão de Constituição e Justiça, cargo que lhe conferiria boa dose de poder contra as movimentações do Ministério Público, especialmente do procurador-geral, Rodrigo Janot.



Epigrama

Data: 16/01/2017
09:46:14

No país da felicidade,
A justiça que se quis:
Bandido é autoridade
E réu processa juiz.



Grande novidade

Data: 16/01/2017
09:45:14

Nem a Operação Cui Bono reduziu o prestígio do ex-ministro Geddel Vieira Lima no Palácio do Planalto.

Descobriu-se que ele continua mandando na Secretaria de Governo através dos seus principais executivos.

Enquanto isso, o deputado Antonio Imbassahy vem experimentando a mais longa pré-temporada de um candidato ao ministério.



A propósito

Data: 16/01/2017
09:44:30

Esses batizadores de operações da Polícia Federal, não sei, não.



Em decomposição

Data: 16/01/2017
09:44:00

As cenas lamentáveis a que se assiste no PT de Salvador, com agressões recíprocas entre vereadores e dirigentes, causam grande surpresa.

Esperava-se que o partido, após grave derrota eleitoral, se voltasse para uma discussão interna que pudesse apontar o rumo da recuperação.

Preferiu-se a guerra, que vai reduzir a menos da metade o que já era quase nada.



Fora de foco

Data: 16/01/2017
09:43:07

O cartunista Simanca, de A Tarde, parece não ter notado que o sectarismo prejudica sua arte, cujo objetivo é, primordialmente, fazer rir.

Ante o bloqueio de bens do ex-governador mineiro Eduardo Azeredo (PSDB), fê-lo dizer, em charge: “Isso é um erro. Eu não sou do PT”.

Adere, assim, à tese petista de que o partido é vítima única da Justiça. Mas poderia ter feito a piada antes, quando foram presos Sérgio Cabral e Eduardo Cunha, do PMDB.



Em política, nem sempre é o que parece

Data: 13/01/2017
22:37:34

A nomeação do ex-ministro Geddel Vieira Lima para a vice-presidência de pessoa jurídica da Caixa Econômica, em março de 2011, foi vista no meio político como um prêmio de consolação, que até o diminuía um pouco nas duras relações do jogo do poder.

Meses antes, como candidato ao governo da Bahia, Geddel tomou monumental rasteira conjunta da então presidente Dilma e de Lula, que romperam um acordo de neutralidade e declararam Jaques Wagner como seu candidato à reeleição.

Como ao PMDB, na época, não interessava brigar, a pacificação foi feita com a indicação de Geddel a um cargo que, embora importante, não tinha a força política de um ministério ou de um órgão federal de ponta.

Agora, um juiz federal adianta, em mandado de apreensão e busca, que, na Caixa, Geddel participou de um “grupo criminoso” envolvendo o notório Eduardo Cunha, com quem, em “prévio e harmônico ajuste”, cobrava propina para liberar empréstimos a empresas e outros favores funcionais.

Isso demonstra o quanto se avalia mal. Muitos diziam que “Geddel se lenhou” por ter aceitado ir para um lugar que seria “de terceiro escalão”. Enquanto isso, Geddel estava lá, faturando, para que destino quisesse dar ao dinheiro, inclusive campanha eleitoral.



Futuro garantido

Data: 13/01/2017
22:34:48

Do radialista Raimundo Varela: “Eu quero vir boi na próxima encarnação. Tem comida, tem vacina...”



Luiz Augusto vê blefe de Nilo

Data: 13/01/2017
22:30:35

Parlamentar com muito trânsito entre os colegas, o deputado Luiz Augusto (PP), embora faça parte de uma bancada menor que a do deputado Angelo Coronel (PSD), tem maiores chances de ser o indicado para enfrentar o presidente Marcelo Nilo na eleição do dia 1º.

Já acertados para lançar uma candidatura única, Luiz Augusto e Coronel definirão os critérios de escolha em reunião anunciada para “breve”, mas que deverá ocorrer na última semana do mês, reta final do pleito. Marcando sua posição, Luiz investe duramente contra o adversário:

“Marcelo Nilo está blefando. Ele não tem 30 votos. Eu e o deputado Angelo Coronel temos, juntos, 39 votos garantidos, que nos foram dados de forma livre e democrática. E temos perspectiva de conquistar um total de 45 votos”.



Presidente fez “boa política”, diz Fabrício

Data: 13/01/2017
22:29:20

O deputado Fabrício Falcão (PCdoB) destacou o papel na condução do processo legislativo como uma credencial importante que levou a bancada de seu partido a decidir pelo apoio à reeleição do presidente Marcelo Nilo na Assembleia Legislativa.

Destacando a “habilidade” de Nilo e sua “forma transparente e democrática” de presidir “uma casa de contrários”, Fabrício disse que uma ação própria da oposição, que é a obstrução, está diminuindo, segundo ele por causa da “boa política, sob a coordenação da presidência, que tem superado divergências”.



Falta de homem

Data: 13/01/2017
22:27:38

O ex-vereador Gilmar Santiago (PT) quer Lula candidato a presidente e diz que “a direita não construiu um nome”.

Modéstia dele. Não só a direita. A esquerda também não, nem a meia-direita e a meia-esquerda, muito menos o centroavante.



Pensamento do dia

Data: 13/01/2017
22:26:52

O Brasil é um gigantesco transatlântico à deriva no mapa-múndi.



Está explicado

Data: 12/01/2017
15:12:28

Lula esteve ontem em Salvador, mas não ficou para a Lavagem do Bonfim porque não sabia que ia ser hoje.



MST restringe-se a palco para Lula

Data: 12/01/2017
09:53:47

Logo que despontou no cenário nacional, há 30 anos, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra ganhou muita simpatia da sociedade pela causa que defendia.

Era um tempo em que seu líder mais conhecido, José Rainha Júnior, e a mulher, Diolinda Alves de Souza, eram verdadeiras estrelas, simbolizando a luta de agricultores impedidos de trabalho pela força bruta do capital.

Ambos perderam o protagonismo, tendo sofrido até condenações por crimes diversos, numa sinalização de mudança de rumo que veio a caracterizar o MST como um movimento essencialmente político, sem nexo com a finalidade original.

As ações mais espetaculosas, como bloqueio de rodovias e destruição de patrimônio privado, ocorreram durante o governo Fernando Henrique Cardoso, justamente o período de desapropriação de mais terras para fins de reforma agrária.

A despeito da evidente ligação do MST com o Partido dos Trabalhadores, foi no governo Lula que diminuiu o ritmo de implantação de assentamentos, praticamente parando no governo Dilma Rousseff, conforme dados do próprio Incra.

O encontro de Salvador, com a participação de duas mil pessoas, teve de ser em recinto fechado, pois a verdade é que há pouca gente – e dinheiro – para ocupar avenidas e praças públicas.

Serviu apenas de marketing para Lula seguir nos discursos inúteis contra o bom senso e alimentar a tese vã de que será candidato a presidente.



Viva a liberdade de expressão

Data: 12/01/2017
09:50:36

“Está incomodado com pobre andando de carro? Pegue o ônibus e deixe a rua vazia para o pobre andar com seu carrinho”.

A frase é de Lula, dita ontem aos sem-terra. É impossível que ele acredite mesmo que essa conversa ainda pega.



Fidelidade partidária e voto secreto

Data: 12/01/2017
09:49:46

As eleições para a Câmara Municipal – já realizada – e Assembleia Legislativa trazem, este ano, um fato novo: o questionamento de votos de vereadores e deputados, proferidos ou antecipados, com base no princípio da fidelidade partidária.

Na Câmara, os vereadores Moisés Rocha e Suíca não votaram na candidata do PT, Marta Rodrigues, e estão ameaçados de expulsão. O mesmo risco correm no PDT os deputados Sargento Isidório e Roberto Carlos, pelo voto anunciado em Marcelo Nilo (PSL).

Entretanto, o fechamento de questão, a orientação para o voto partidário, se é que houve, só se aplica a matérias submetidas a votação aberta, em que, obviamente, será possível aferir a posição do parlamentar.

Como hipótese, se Suíca for processado, poderá até alegar que votou em Marta Rodrigues, que teve um voto na eleição da Câmara, supostamente o dela. Mesmo contra a lógica, não há tribunal no mundo que possa dizer de quem foi determinado voto dado secretamente.



Roberto socorre Isidório

Data: 12/01/2017
09:47:43

A propósito, o deputado Roberto Carlos, que tem o PDT como única filiação partidária em três mandatos de vereador e outros três de deputado, anunciou o apoio a Nilo com discurso.

Disse que respeita a liderança do senador Otto Alencar e do vice-governador João Leão, assim como seus colegas Angelo Coronel e Luiz Augusto, mas não crê em “influência externa num colegiado pequeno, onde contam bastante as relações pessoais e a história de cada um”.

A posição de Roberto não reforça apenas o deputado Marcelo Nilo, mas, principalmente, o deputado Sargento Isidório, que estava sozinho na divergência com o presidente do PDT, deputado Félix Mendonça Júnior.



Será uma briga boa, se Neto topar

Data: 12/01/2017
09:46:18

Se o governador Rui Costa conseguir até o fim do mandato fincar pelo menos os primeiros pilares da ponte Salvador-Itaparica, poderá reivindicar, com a autoridade que lhe confere o andamento do metrô, o título de grande gestor em transporte.

Haverá, como tem havido desde que se começou a falar no projeto, críticas e controvérsia, o que será relevado se a construção prosperar, criando empregos e embalando o sonho de novas perspectivas econômicas para uma vasta região.

Será uma credencial poderosa que o governador exibirá no final do próximo ano, se, naturalmente, tudo estiver correndo bem, como parece. São obras diretamente ligadas à capital, mas com evidente impacto em toda a região metropolitana.

Realizações em outras áreas vão se sucedendo, como o Hospital da Mulher, entre tantas que o governo inaugura no interior em ritmo quase diário.

Sedimenta-se, assim, a imagem de um governador operoso, apesar de ortodoxo com as finanças, capaz de confrontar em 2018 seu trabalho com o carisma do virtual – e principal – adversário, o prefeito ACM Neto.



"Site" vê ilha privatizada na BTS

Data: 12/01/2017
09:43:47

Ampla matéria do site Opinião&Política aponta o empresário Carlos Suarez como responsável pela fechamento de toda a orla da Ilha dos Frades com arame farpado, isolando praias e outros atrativos naturais que constituem um patrimônio ecológico na Baía de Todos os Santos.

O Ministério Público Federal já denunciou a situação, relatando a construção de muros, píeres e atracadouros – inclusive para uso particular – em manguezais e praias da ilha, além da construção de represas, reservatórios, desvio do curso de rio, criação de lagos artificiais e passeios de pedra, entre outras intervenções ilegais.

Na ilha, que pertence a Salvador, o abandono já se vê no píer do povoado de Paramana, onde vive a população nativa. Entre outras perguntas, o site, que fez uma boa cobertura fotográfica da região, quer saber quem “vendeu” a ilha dos Frades e quem autorizou o cercamento.



Ataque de Coronel indica disputa no plenário

Data: 10/01/2017
17:53:00

Qualquer que seja o desfecho sobre a eleição para a presidência da Assembleia Legislativa, virá na última hora, havendo, portanto, três semanas para negociações. O quadro atual não aponta para conciliação entre os concorrentes.

Adversário até agora mais evidente num eventual confronto com o presidente Marcelo Nilo, o deputado Angelo Coronel o acusa de mentir sobre apoios, constranger parlamentares ao anunciá-los como eleitores e ainda pressionar colegas.

O teor da divergência demonstra que há uma luta extremada, de difícil reversão. Não estão pesando, como no passado, a força do governo, que determinava obediência, ou, em tempo mais recente, a “autonomia” da Casa, que não haveria com o controle do PT.

Esgarçada a velha dicotomia de décadas da política baiana, impõem-se agora interesses cada vez mais declarados, à medida que a Bahia avança no processo “democrático”, em que novas forças emergem e querem se fazer valer.

O Estado começa a ficar pródigo em lideranças de densidade. Além do próprio pivô de todo esse bafafá, Marcelo Nilo, temos uma vasta plêiade de cabeças políticas com capacidade para disputas majoritárias.

Rui Costa, Jaques Wagner, ACM Neto, Antonio Imbassahy, Walter Pinheiro, Otto Alencar – são nomes que enriquecem e diversificam o cenário, e só por bobagem Geddel Vieira Lima está fora da lista.

Articular em alto nível exige refinada ciência, pois em geral a composição prevalece sobre a vontade. Assim, é certo que uma lição importante será tirada da eleição do dia 1º, caso haja, como previsto, disputa no plenário.



Secretário de Neto prevê “surpresa” para Nilo

Data: 10/01/2017
17:49:53

O secretário de Relações Institucionais do Estado, Josias Gomes, deu entrevista hoje cedinho ao misto de vereador, radialista e secretário Geraldo Júnior, na Rádio Metrópole.

Josias adotou postura light quando indagado sobre a eleição na Assembleia, mas o radialista, que é muito ligado ao prefeito ACM Neto, foi enfático ao afirmar que “Marcelo Nilo terá uma surpresa no voto secreto”.



Real Madri do Nordeste

Data: 10/01/2017
17:47:36

Repetindo palavras do governador Rui Costa, Josias disse que na próxima semana sairão as mudanças no secretariado e no comando de alguns órgãos.

Rui havia se referido claramente a “reforma”, enquanto o secretário amenizou para “pequenos ajustes”, pois “não se mexe em time que está ganhando”.



Sinal amarelo

Data: 10/01/2017
17:46:48

O fato é que, se houver a reforma, Marcelo Nilo será contrariado. Ele quer alterações de 2 de fevereiro pra lá.



Quem não pode com mandinga...

Data: 10/01/2017
17:46:08

A propósito, há um risco na previsão do deputado Lúcio Vieira Lima de que o deputado Antonio Imbassahy será nomeado ministro no dia 2, como “um presente de Iemanjá”. É que a maré pode devolver.



Você sabia?

Data: 10/01/2017
17:45:24

Israel é menor do que Sergipe e tem apenas 60 anos de existência.



Tempo integral

Data: 10/01/2017
17:44:51

A vantagem de o prefeito Fernando Gomes, de Itabuna, nomear mulher, filho e sobrinho é que eles levam trabalho para casa.



Nilo diz que tem maioria

Data: 09/01/2017
13:56:33

As notícias vêm a cavalo na guerra pela Assembleia: o recém-empossado deputado Samuel Júnior (PSC) apoiou formalmente a reeleição de Marcelo Nilo à presidência da Assembleia Legislativa.

A assessoria de Nilo informa que, com esse, estão fechados 32 votos, maioria absoluta que lhe garantiria a vitória.

A contabilidade inclui oito votos do PSL, doze do PT, três do PSB, três do PCdoB, dois do PTN, dois do PDT, um do PPS e um do PSC.



Candidatos rejeitam prévia na Assembleia

Data: 09/01/2017
13:22:44

Nas reuniões que manteve com candidatos à presidência da Assembleia Legislativa, em busca de um improvável consenso, o governador Rui Costa propôs que fosse feita uma prévia na bancada do governo para definição do nome.

Uma solução dessas seria a ideal para ele, que confirmaria sua declaração de isenção no processo e asseguraria como próximo presidente da Casa alguém da base do governo que terá tido todos os votos da base.

O temor de Rui é que, num confronto no plenário entre parlamentares aliados, os votos da oposição venham a ser decisivos – para qualquer um. Significaria, em suma, que, mesmo com uma maioria de 42 a 21, o governador não fez o presidente.

Obviamente, os deputados Angelo Coronel (PSD) e Luiz Augusto (PP), adversários até agora postos para disputar com o presidente Marcelo Nilo (PSL) não concordaram com a ideia da prévia, convictos de que não teriam chance contra Nilo.



Mistério continua na bancada da oposição

Data: 09/01/2017
13:12:25

Cresce, portanto, o cacife da oposição, que até agora não se manifestou nem deu indicativo de que rumo seguirá. Deputado governista avaliou a Por Escrito que essa posição dependerá do papel a ser desempenhado pelo prefeito ACM Neto.

“Se ele chamar um por um, pode ser que dois ou três escorreguem, mas uns 18 estão garantidos, porque o prefeito representa agora a perspectiva de poder, ninguém vai querer brigar com ele”. No entanto, completou, caso a bancada seja liberada, “Marcelo arranca uns oito votos por lá”.

Outro parlamentar da base, eleitor histórico de Nilo, agora partidário da renovação, estranha a resistência do presidente a propostas de conciliação. “Marcelo imaginou que ia dar um passeio. A raiva que ele está passando agora, não sei se paga tudo que ele já teve”.



Declaração de voto

Data: 09/01/2017
13:10:48

Lenha na fogueira, discretamente, gosta de botar o deputado Sargento Isidório (PDT).

Desistiu da candidatura (?) à presidência para apoiar Marcelo Nilo e disse que somente o governador Rui Costa o faria “tomar caminho diferente”.

Quer dizer, Rui não pediu nada a Isidório. Nem contra nem a favor de Marcelo Nilo, Otto Alencar ou João Leão. O cenário está confuso.



A reforma do governo e a eleição na Assembleia

Data: 08/01/2017
09:21:11

O grau de tensão que atinge o processo sucessório da Assembleia Legislativa pode ser medido por recente declaração do presidente Marcelo Nilo, de que a reforma chamada “administrativa” – na verdade, do governo – seja feita depois da eleição, dia 1º de fevereiro.

Supõe-se que é uma sugestão no sentido de não agitar a base parlamentar num período para ele, Nilo, extremamente sensível. Para levá-la a público, é porque já a deve ter feito diretamente ao próprio governador Rui Costa, sem uma definição até agora.

Numa circunstância dessas, Rui hesitaria, pois fazer ou não a reforma significaria, no presente contexto, favorecer um ou outro candidato, coisa que absolutamente não quer deixar transparecer, embora a reeleição de Nilo lhe seja mais conveniente.

A conjuntura é pressionada por ninguém menos do que o senador Otto Alencar, liderança incontestável no Estado, que ou está plenamente seguro do êxito de sua movimentação ou quer, mesmo entrando numa fria, dar sua contribuição ao processo de “oxigenação” da Assembleia.

Ao senador interessa muito a rearrumação do governo, que lhe daria poder compatível com a força do seu partido em número de prefeituras e de deputados. Ele dá certeza de que as mudanças virão, embora, estranhamente, diga que não participa das conversas nem tem pleitos a fazer.

Na eleição da Assembleia, Otto tenta se livrar da imagem de que trabalha por Coronel, afirmando que apenas lhe dá apoio por questão partidária, mantendo-se longe da disputa, que pertenceria exclusivamente à Casa. Mas não é isso que traduzem as reuniões que faz e a permanente crítica à obstinação de Nilo de ocupar o cargo pela sexta vez.



Asas em vez de galões

Data: 08/01/2017
09:18:50

Chamou atenção a referência de Otto a seu candidato, Angelo Coronel, em declaração à imprensa, como Angelo, prenome pelo qual é praticamente desconhecido, valendo mesmo o apodo Coronel, que incorporou ao nome de urna.

Talvez seja parte da estratégia eleitoral, uma indicação da natureza angelical do postulante, ao contrário do mandonismo a que imediatamente remeteria a patente militar.



Xenofilia explícita

Data: 08/01/2017
09:17:59

Vê-se que Sérgio Cabral herdou do suposto ancestral o gosto pelas rotas transoceânicas: em dois mandatos de governador, ficou um ano no exterior. Foram 64 viagens, entre oficiais e particulares.



O povo gostha

Data: 08/01/2017
09:15:56

Informa-se que o recém-empossado prefeito de Itabuna, Fernando Gomes (DEM), nomeou parentes para um terço do secretariado, entre eles a mulher, o filho e um sobrinho.

Gomes acumula, como gestor, quatro condenações pelo Tribunal de Contas da União, enquadrado por improbidade administrativa nas Leis de Responsabilidade Fiscal e da Ficha Limpa.

Está no cargo pela quinta vez desde que iniciou a carreira política, há 40 anos, tendo exercido ainda três mandatos de deputado federal.

Num aspecto, temos de dar razão ao TRE, que deferiu sua posse: se o povo de Itabuna o admira tanto, tirá-lo da cadeira seria um atentado contra a democracia.



Deus pode sair em 2018

Data: 06/01/2017
09:56:11

Este editor gostaria de manter-se distante dessa história de prefeito repassar a Deus a responsabilidade pelos destinos da municipalidade que lhe foi confiada pelo voto.

É verdade que nos permitimos, terça-feira, na nota “Funcionário fantasma”, mais por cumplicidade que por desresperito, um gracejo com o Todo-poderoso, cuja supremacia universal reconhecemos.

Entretanto, dado o segundo caso, não somente o de Guanambi, nesta Bahia pioneira, mas também o de Santo Antônio de Pádua, no Rio de Janeiro, somos obrigados, profissionalmente, a analisar friamente a matéria.

A princípio, não há por que preocupar-se com o aparente vírus fundamentalista. O importante é seguir os passos e as contas do gestor terreno da bufunfa pública, cuidando para que seja aplicada correta e eficazmente – o resto vem por gravidade.

Embora crente na confissão católica desde tenra idade, por enquadramento familiar, seguramente não esperamos que o Criador desça dos céus materializado para administrar o pequeno município fluminense, o que não obsta que possa, da invisibilidade, operar o milagre que sonha o prefeito.

Como o colega baiano, ele revogou unilateralmente as disposições em contrário à colaboração divina e reconheceu a complexidade e a dificuldade das grandes questões, que “transcendem, em muitos casos, a capacidade dos gestores de solucioná-las”.



Essa gente não perde a mania

Data: 06/01/2017
09:54:02

A propósito, o decreto do prefeito de Guanambi dizia que o município, a partir daquela publicação, estava “sobre a cobertura do Altíssimo”.

Esquecida a gramática e imobiliariamente falando, estar-se-ia insinuando a existência de um andar, ou mais, acima do apartamento do Arquiteto do Universo?

Assim sendo, conviria esclarecer que órgãos – e em que gestões – emitiram licenças e alvarás à revelia da lei para beneficiar alguém, que onipotência tenha.



Temer foi lembrado do massacre

Data: 06/01/2017
09:44:07

Não há razão para escândalo com o silêncio do presidente Temer, enfim rompido, sobre o massacre de Manaus. Ele nem considerou abordar o assunto. Preocupa-o o déficit fiscal, além do PIB, taxa de juros, inflação e desemprego.

Só apareceu, quatro dias depois, para palavras burocráticas e anúncios irrelevantes, quando alguém se lembrou de sua existência e disse: “Olha aí, Michel, é melhor você dar as caras”.

Consciente da zero influência da carnificina em seu governo, fez declarações protocolares e voltou à rotina derradeira de sua vida pública, a cruzada para “salvar o país”.



Ovo de Colombo

Data: 06/01/2017
09:42:53

Com um preso no Amazonas custando mais de R$ 4 mil por mês, melhor seria libertar a maior parte e pagar uma bolsa-honestidade de R$ 2 mil.

A mesma medida poderia ser estendida a outros Estados, com vultosa economia para o Erário e fim da superlotação nos presídios.




Página Anterior   Próxima Página