Salvador, 22 de janeiro de 2020

Passado remoto

Data: 29/01/2017
11:51:34

Informa-se que o deputado Reinaldo Braga foi o “antecessor imediato do deputado Marcelo Nilo” na presidência da Assembleia. Valeu a lembrança. Muita gente já tinha esquecido.



Pior fez quem copiou

Data: 29/01/2017
11:50:34

O governador Paulo Câmara, de Pernambuco, e o vereador Paulo Câmara, de Salvador, brigam pelo slogan “presença que faz a diferença”. E pensar que tem gente que ganhou dinheiro com essa “ideia”.



Galo na cabeça

Data: 29/01/2017
11:49:50

O calendário chinês diz que este é o “ano do galo”. Não sendo uma previsão para o deputado Marcelino Galo, já que em 2017 não tem eleição, presume-se que é algum título que virá para o Atlético Mineiro. Ou uma explosão de vendas do azeite-doce.



Oposição define-se hoje sobre a Assembleia

Data: 28/01/2017
00:15:21

O dia de hoje, sábado, será decisivo para a sucessão na Assembleia Legislativa, pois a partir das 10 horas o prefeito ACM Neto estará reunido com a bancada da oposição, sendo as opções, naturalmente, ou o voto em bloco ou a liberdade de escolha.

Faz-se indispensável a ressalva de que um caminho ou outro não exclui a principal característica do pleito, que atinge também os deputados dos diversos partidos governistas: o voto é secreto, e assim o frágil conceito da confiança pode falhar.

A importância da oposição cresceu, como se sabe, do racha na bancada do governo, que tem três candidatos. Gerou-se entre eles uma guerra de adesões, com demonstrações de força, desafios, ironias e mesmo palavras mais duras, capazes de ferir o coração de quem as recebe.



Números dão margem a qualquer cálculo

Data: 28/01/2017
00:12:26

A balança pende para o presidente Marcelo Nilo, que reuniu 30 apoiadores em almoço. Ele enfrenta os deputados Angelo Coronel e Luiz Augusto, que em tese têm 14 votos, entre eles os de dois parlamentares do próprio partido do presidente, que Coronel apresentou após ser desafiado.

A presunção é de que deputados que antecipam publicamente o voto numa eleição dessa natureza serão fiéis, mesmo porque, a menos que esteja havendo uma conspiração, nada lucrariam com a vitória do adversário. Assim, faltariam dois votos, entre os outros 33, para a vitória de Nilo.

Se a análise for simplesmente aritmética, na hipótese probabilisticamente irrazoável de a oposição votar unida num adversário de Nilo – serão 20 votos, sem o do nilista Targino Machado –, o que completaria 34, isto é, dois a mais que a maioria absoluta.



Sucessão de 2018 pode ser uma motivação

Data: 28/01/2017
00:10:39

Aí é que entra a indefinição do quadro político. A base de tudo está no suposto confronto entre o governador Rui Costa e o prefeito em 2018. Dá-se a disputa como certa, e aí melhor para Neto que o presidente da Assembleia tivesse com ele uma dose de aliança.

Fala-se dessa forma porque os outros candidatos são também da “base”, mas ligados a lideranças expressivas no Estado, o vice-governador João Leão e o senador Otto Alencar. E ambos, Coronel e Luiz Augusto, asseguram que serão leais, como têm sido, a Rui Costa.

Entretanto, é possível que o prefeito não seja candidato a governador no próximo ano. Decisão desse porte, mesmo sendo o vice tão confiável como Bruno Reis, requer avaliação científica, não pode ser na base da empolgação. Nesse caso, talvez Neto seja favorável a Nilo, o que não desagradaria deputados da oposição.



Cardápio rotativo

Data: 28/01/2017
00:08:29

Na visão cartesiana da situação, ao prefeito poderia interessar uma derrota de Marcelo Nilo para opor-se a seus maiores adversários, que são os petistas.

Mas, em geral, a questão “ideológica” está longe dessas disputas. Tanto que, há dois anos, o líder do PT, Rosemberg Pinto, era furiosamente contra Nilo, e agora estava sentado ao lado dele no Barbacoa.



Momento histórico

Data: 28/01/2017
00:07:19

Um fechamento de questão na oposição, em vez, se fosse o caso, de um chamamento democrático à ação de grupo, seria um grande teste para ACM Neto.

É inevitável lembrar que nos tempos do falecido senador Antonio Carlos Magalhães a voz de comando já teria sido dada e ai de quem ensaiasse uma traição.



Médico de família

Data: 28/01/2017
00:06:17

Se a base de Rui Costa está fraturada, como diz ACM Neto, pelo menos ele conta com os serviços do ortopedista Otto Alencar.



Trump a caminho a desestabilização global

Data: 26/01/2017
09:02:06

Se Trump não começasse a cumprir suas promessas explosivas, como o muro do México e a satanização do islã, ele estaria mentindo ao eleitorado, como acusou Hillary de ter feito, e assim seria apenas uma caricatura de tirano.

Não. Trump é um tirano autêntico, real. Sabe que precisa de credibilidade para seguir em sua obra nefasta, porque, afinal, os Estados Unidos não são a Alemanha dos anos 30, sendo indispensável que toda a desgraceira ocorra em plena democracia.

Denunciou o Acordo Transpacífico, não vai mais sustentar a Otan e, o pior, estabelecerá perseguição sistemática e legal contra todas as minorias ou segmentos que abomina, como imigrantes, homossexuais, muçulmanos, hispânicos e, certamente, negros.

Não poderá recuar ante a China, sob pena de desmoronar sua arquitetura. Por isso, deverá restabelecer a política das duas Chinas, vigente até 1971 e derrubada justamente dentro do projeto do presidente norte-americano Richard Nixon de aproximação comercial e política com o país de Mao, resultante da famosa "diplomacia do pingue-pongue".

Como se sabe, Taiwan, a China insular, é uma questão de honra nacional e patriótica para os chineses continentais, que quase 70 anos depois não toleram a existência da vizinha “província rebelde”, que pretendem tomar de volta, ainda que por força militar.

Essa questão, por si só, será um grande fator de desestabilização mundial, restando ver como serão as relações de Trump com a outra potência territorial e atômica, a Rússia, que, teve grande influência na eleição dos Estados Unidos, mesmo que não tenha feito nada do que a acusam.



Um Neto dando colher de chá a outro

Data: 26/01/2017
08:56:42

O governo aproveitou de imediato a vitória do prefeito Eures Ribeiro para a presidência da UPB, sedento que está de fatos que possam robustecer a candidatura à reeleição do governador Rui Costa.

O líder na Assembleia Legislativa, deputado Zé Neto (PT), foi direto: “O time do governador é forte e mostrou sua força, impondo uma derrota ao prefeito ACM Neto”.

O prefeito aproveitou a deixa: “Acho que eles erram nessa estratégia de olhar pra mim como adversário já pra 2018. É o próprio governo, a base, que acaba fazendo isso. Só posso me sentir prestigiado...”



No passado não foi bem assim

Data: 26/01/2017
08:55:42

O particular da história é que a UPB, realmente, não é determinante no pêndulo político estadual. É uma entidade dedicada às causas municipalistas e orientação contábil e jurídica a prefeituras.

Em janeiro de 2007, quando Jaques Wagner completava o primeiro mês do primeiro mandato, a eleição da UPB foi vencida por um prefeito do PFL, Orlando Santiago, sobre Carlos Brasileiro, do PT, prefeito de Senhor do Bonfim.

Naquele tempo, os petistas – e governistas em geral – minimizaram a derrota, citando o caráter suprapartidário da entidade. Aliás, o próprio Santiago destacou que se voltaria para “as questões e angústias dos gestores baianos” e que a UPB era “a casa de todos os prefeitos”.

Santiago fez lá seu mandato sem grande marca que o projetasse, ou à UPB, em grande escala, e o fato é que a crônica desconhece que contribuição teria dado ao confronto majoritário seguinte, de 2010, em que Wagner foi reeleito no primeiro turno contra Paulo Souto.



A velha imprensa não sucumbiu à internet

Data: 26/01/2017
08:50:15

Dizia-se que as redes sociais iriam melhorar a qualidade e o alcance da informação, que estaria fora do controle dos grandes grupos e chegaria praticamente a todos pelos modernos meios tecnológicos.

No entanto, o que se vê é a consagração, em dimensões universais, da velha fofoca do bairro, da escola, do clube, da barbearia – com a vantagem de que esta podia ser rapidamente esclarecida.

Sobre assuntos de interesse capital para o país, é preciso consultar explicações literalmente intituladas “sete mentiras sobre o juiz Sérgio Moro” e “o que se sabe e o que é boato do acidente de Teori”.

O resultado é que, gradualmente, na consciência popular, os grandes meios de comunicação – jornais, rádios, televisões, que estão em todas as plataformas digitais – recuperam o “direito” de ser os porta-vozes únicos da verdade.



Oposição é esperança de adversários de Nilo

Data: 24/01/2017
21:59:59

Nos últimos dias, teses levantadas na imprensa à base de números acrescentam algo de nebuloso ao difícil processo sucessório na Assembleia Legislativa, o qual, pela primeira vez em toda a história, contrapõe publicamente autoridades de primeiríssimo escalão.

O governador Rui Costa propôs uma prévia dentro da bancada, de 42 parlamentares, para escolha do candidato. Os deputados Luiz Augusto e Angelo Coronel, que estão juntos na disputa, não toparam, supostamente porque perderiam.

Nesse caso, como são 12 os deputados dos seus partidos, respectivamente PP e PSD, presume-se que eles não contavam com dez dos 30 votos restantes do bloco, que dariam aritmeticamente a vitória ao nome a ser definido entre os dois.

Aí entra um princípio de enigma: se o deputado Marcelo Nilo, na avaliação dos próprios adversários internos, tem pelo menos 22 votos, somente em composição ampla com a oposição seria possível a Luiz Augusto ou Coronel bater Nilo no plenário, enquanto este precisaria de poucos votos no bloco da minoria para chegar à vitória.

Num conflito em que estão envolvidos, como patronos, líderes do porte do senador Otto Alencar e do vice-governador João Leão, a mudez da oposição traduz um mistério cujos desdobramentos ainda não podem ser estimados.



"Costura” vale mais que “ostentação”

Data: 24/01/2017
21:54:48

Por outro lado, soa como pilhéria a notícia de que Rui Costa deu uma espécie de ultimato a Marcelo Nilo para revelação do seu potencial eleitoral, que seriam 30 votos, que seus detentores apresnetariam pessoalmente na próxima quinta-feira.

A batalha pela vitória num confronto de tão elevado nível não comporta, certamente, esse tipo de “ostentação”. Ao contrário, é da costura de bastidores, no silêncio noturno, que sairá o nome a ser consagrado no sigilo da urna.



O campeão e os franco-atiradores

Data: 24/01/2017
21:52:27

Fala-se em estresse dos candidatos a presidente da Assembleia. O maior deve ser de Marcelo Nilo, que é o detentor do cinturão.

Os outros, Angelo Coronel e Luiz Augusto, são os desafiantes – digamos que nada têm a perder.



Ladeira abaixo

Data: 24/01/2017
21:51:05

O país está num grau de relaxamento tão grande que é visto como normal um encontro entre um presidente da República citado em investigação policial e um ministro da corte que poderá julgá-lo.

Na verdade, releve-se. São as autoridades que temos a nosso serviço, então, que cumpram seu “dever”. Se as impedirmos, poderá sair até solução mais destemperada ainda do que já seria doloroso aceitar.

É como se estivéssemos num ônibus desgovernado e fosse melhor qualquer motorista que nenhum.



Competência

Data: 22/01/2017
15:46:26

O muro de Alcaçuz subiu primeiro que o do México.



De ideologia e compromisso o Brasil carece

Data: 22/01/2017
15:45:53

Neste dia em que passa o 95º aniversário de nascimento de Leonel Brizola, convém registrar a falta de clareza ideológica e compromisso popular da quase totalidade dos líderes e dos políticos brasileiros em geral.

É História do Brasil: em 1961, aos 39 anos. entrincheirado no Palácio Piratini, Brizola comandou em cadeia de rádio a resistência ao golpe militar com que se pretendia impedir a posse de João Goulart após a renúncia do presidente Jânio Quadros.

Não traiu seus eleitores para ficar no poder. Pôs em risco até sua vida – e a da família – em nome de convicções e princípios. Essa é a marca do verdadeiro homem público, porque, afinal, ninguém é obrigado à vida pública, que deveria ser levada sem o interesse pessoal.

De volta ao Brasil, após 15 anos de exílio imposto pelo regime militar de 1964, Brizola logo identificou nas Organizações Globo o grande inimigo da democracia, que pretendia controlar o país depois de ter sido um dos sustentáculos da ditadura.

Foi uma luta solitária que travou no PDT, sem a solidariedade da esquerda, especialmente do PT, satisfeito com a cerrada campanha da Globo contra o principal adversário de Lula numa eventual eleição presidencial – como viria a ocorrer.

Foi, também, por outro lado, um período de muitas vitórias importantes, como duas eleições ao governo do Rio de Janeiro e um domínio que se prolongou no Estado, apesar dos ataques que sofria, com acusações que eram falsas, ao contrário das que se fazem atualmente.

Em célebre direito de resposta, arrancado a fórceps e extemporaneamente na Justiça tardia que temos, ele disse na própria emissora, em texto lido por Cid Moreira: “Tudo na Globo é manipulado e tendencioso”.

Ao fim de uma vida em que prevaleceram a coragem, a determinação e o amor ao povo brasileiro, Brizola, enfim, não alcançou o objetivo que tinha para o país, mas, como seu companheiro Darcy Ribeiro, certamente não quereria estar no lugar dos que venceram.



Espectro flexível

Data: 22/01/2017
15:41:52

O deputado Orlando Silva (PCdoB) pulou na garganta do juiz Eduardo Ribeiro de Oliveira, que proibiu o deputado Rodrigo Maia (DEM) de concorrer à presidência da Câmara.

Disse que é “um factoide”, um “ativismo judicial” que ilustra a “anarquia em que vive o país”. Ou seja, um “comunista” desancando o Judiciário em defesa de um representante da direita, que em grande parte está no DEM.



Tava na cara

Data: 22/01/2017
15:40:55

Esse negócio de Abal Magalhães “desnomeado” da Conder é lapidar. O governado Rui Costa deveria ter desconfiando, quando nada, do sobrenome.



A loucura em marcha

Data: 21/01/2017
15:07:24

Trump anuncia um “escudo espacial” para deter mísseis que forem lançados por Irã e Coréia do Norte.

Perda de tempo e dinheiro. O Irã e a Coréia do Norte jamais dispararão mísseis contra os Estados Unidos.



Mantenha distância

Data: 21/01/2017
15:06:35

Faz bem a oposição em reagir, e uma nova cruzada nacional deve ser instalada: Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal seria a “temerização” da corte, não quanto à filiação partidária, porque ele é tucano, mas por sua mediocridade jurídica.



O mal pela raiz

Data: 21/01/2017
15:05:53

O deputado Toninho Wandscheer (PROS-PR) encontrou um jeito simples de combater a Operação Lava-Jato: indicou o juiz Sérgio Moro para ministro do Supremo.



Um acidente matou Teori

Data: 20/01/2017
22:20:53

Em arriscada assertiva, Por Escrito opina: nenhum atentado ocorreu contra o ministro Teori Zavascki, salvo melhor juízo da perícia técnica.

“Esse país” seria definitivamente uma trágica comédia pastelão se bolassem um acidente aéreo para deter a Operação Lava-Jato.

Óbvio que a investigação deve ser ampla, rigorosa e transparente, como todos os eventos do ramo, mas não se esperem grandes fatos.

A operação, que vem de ser saudada até no fórum de Davos, não corre risco. Alguém sucederá Teori na missão, e os processos seguirão em frente.



Um passeio normal de fim de semana

Data: 20/01/2017
22:19:23

É natural que se queiram desvendar as situações correlatas, afinal, nelas pode estar oculta a ponta do fio de uma medonha conspiração.

Entretanto, também as companhias do ministro e do empresário no fatídico voo pouco terão a acrescentar a uma possível tese de homicídio premeditado.

Já se nota na mídia e nas redes sociais uma desconfiança maliciosa sobre o que estariam fazendo no avião sinistrado duas mulheres que não eram das relações familiares.

É o juízo moral prevalente que acomete a imprensa, embora no âmago, na pessoalidade das redações, não seja nada disso, somos todos indivíduos atormentados pelo poder de ditar regras.

Viúvo, em recesso laboral, Teori nada faria de mais se tivesse programado um fim de semana prazeroso nas areias do sul fluminense, passado o temporal que pode ter sido a causa do desastre.



Lava-Jato é prioridade do país

Data: 20/01/2017
22:17:52

Duvidar da continuidade da Lava-Jato por causa da morte de Teori Zavascki é imaginar que não temos no Supremo Tribunal Federal 11 nomes dos mais seletos do mundo jurídico, entre juristas e advogados, trabalhando conforme a própria consciência, mas também diante dos olhos da nação.

Este é talvez o maior legado precoce da era cibernética: não será possível esconder de ninguém o essencial. Com toda reverência à memória e à brilhante carreira do falecido ministro, diz o vulgo que “de insubstituíveis o cemitério está cheio”.

O combate à corrupção e o desbaratamento contínuo das quadrilhas que se escondem no serviço público de todas as esferas devem ser prioridades de governantes e autoridades que considerem possível  outro tipo de Estado no Brasil, longe dos vícios, distorções e crimes, mais de acordo com a teoria constitucional dos direitos.



Pensamento do dia

Data: 20/01/2017
22:15:23

Deus é brasileiro, mas o Diabo controla o tráfego aéreo.



Prefeito e ministro tabelam sobre aeroporto

Data: 20/01/2017
00:35:41

Esta é uma história que envolve os três níveis de governo: o federal, o estadual e o municipal.

A reforma do Aeroporto de Salvador, iniciada há quatro anos e até hoje sem conclusão, é de responsabilidade do governo federal.

Ao longo de dez anos, o PT governou simultaneamente o Brasil e a Bahia, e, apesar dessa afinidade, a obra, prevista para a Copa do Mundo, não andou.

Embarca agora na história o prefeito ACM Neto, alegando justamente a inépcia com que o assunto foi tratado até agora – aliás, dizemos nós, como acontece com o “aeroporto” de Vitória da Conquista.

O prefeito pode até alegar, inocentemente, que está defendendo os interesses turísticos da cidade que governa, bem estimulado, é verdade, pela colher de chá que o adversário dá.

De bem com o governo federal, Neto pretendia ir a Brasília reclamar, mas, em tabelinha bem feita, o ministro dos Transportes lhe telefonou para dizer que amanhã uma equipe estará em Salvador para providências emergenciais imediatas.

A demanda tem cara e cheiro de campanha eleitoral, então, deve ser campanha. O governador Rui Costa, o governador do metrô e da ponte Salvador-Itaparica, precisa estar com o olho aberto, querem lhe roubar a supremacia no segmento.



Raciocínio rápido

Data: 20/01/2017
00:31:33

Equipe da inteligência da Polícia Militar disparou 15 tiros contra o carro de um soldado da própria PM que julgou ser um bandido.



A vida musical de Batatinha

Data: 20/01/2017
00:30:07

“Batatinha – Direito de Sambar. Cancioneiro – Songbook”, da Família Batatinha, é o mais novo livro editado pela Assembleia Legislativa. Será lançado nesta sexta-feira, às 19 horas, no antigo restaurante Toalha da Saudade, nos Aflitos.

O trabalho inclui pesquisa e catalogação dos fonogramas produzidos pelo artista ao longo de seus 72 anos de vida, assim como a recuperação e tratamento dos fonogramas publicados na carreira e áudios de entrevistas, algumas de conteúdo inédito.

Os dois produtos culturais resultaram do processo de pesquisa e estão disponíveis ao público. O acervo fonográfico pode ser acessado por meio do site www.acervobatatinha.com.br e pelo livro de canções.



PT vai empurrando decisão sobre Câmara

Data: 20/01/2017
00:28:26

Terça-feira a bancada do PT se reuniu para definir a posição sobre a eleição de presidente da Câmara dos Deputados.

Dividida entre apoiar um candidato da oposição e o “temerista” Rodrigo Maia (DEM), transferiu a decisão para ontem, quinta-feira, na Executiva Nacional.

Nada feito, nem com a presença de Lula, que não conseguiu a unidade. O presidente Rui Falcão foi obrigado a anunciar que a questão será levada ao Diretório.

Ou o partido tenta reaver a coerência, e assim votar no deputado André Figueiredo (PDT), ou assegura espaço na Mesa, que não teve em 2015, quando enfrentou Eduardo Cunha.

A presença na direção da Casa, realmente, é importante, mas o PT mira muito além. A paradoxal afinação com o governo, desejada pela cúpula, é um passo de ajuda ao próprio Lula, por cuja liberdade Temer externou simpatia.



Galo e Solla rejeitam adversários

Data: 20/01/2017
00:24:19

O grupo petista liderado pelos deputados Marcelino Galo e Jorge Solla é contra o apoio “a candidatos de partidos da base do governo Michel Temer na renovação das legislaturas que se iniciam em 2017”.

Isso significa que, na Câmara dos Deputados, nada para os candidatos a presidente Rodrigo Maia (DEM) e Jovair Arantes (PTB).

Solla explica: Maia é “um dos atores do golpe, apoiador de primeira hora do usurpador”, e Jovair “foi o relator da tropa de choque golpista que traiu a democracia e o povo brasileiro”.



Sobrou para “base de Temer” na Bahia

Data: 20/01/2017
00:22:59

Note-se que a informação do texto acima se refere a “legislaturas”, o que significa uma generalização, que incluiria, por consequência, a escolha do próximo presidente da Assembleia.

Como não há dúvida de que dois candidatos postos, Luiz Augusto (PP) e Angelo Coronel (PSD), são de partidos da base do presidente Temer, supõe-se que essa corrente petista os exclui, em favor de Marcelo Nilo (PSL).

Não se sabe, no Brasil dos dias atuais, como os fatos se desenrolarão nos próximos 18 meses, e assim não interessaria aos petistas ter no cargo no período eleitoral um parlamentar sujeito a pressões nacionais.

Por outro lado, é exatamente esta perspectiva – a de modificar a correlação de forças na Casa – que pode nortear a bancada da oposição, mas isso só se houver uma voz de comando, que ainda não foi ouvida.



A teoria e a prática

Data: 20/01/2017
00:21:09

Trabalho publicado em 2014 por Marcelo Odebrecht sob a chancela do Fórum Econômico Mundial intitulava-se “Criando modelos inovadores de parcerias público-privadas”.

Como subornar governantes, políticos e funcionários públicos em diversos países, especialmente o Brasil, “tecnologia empresarial” pela qual o “parceiro” privado explorava à exaustão o que o “parceiro” público podia propiciar.



A lógica diz que Imbassahy está rifado

Data: 18/01/2017
23:15:24

É razoável que as pastosas relações na alta esfera do poder determinem que as decisões, por mais importantes que sejam, tenham um timing, para que, consumadas, delas se possa extrair o máximo com menor prejuízo.

Mas a indicação do deputado Antonio Imbassahy para ministro da Secretaria de Governo do presidente Michel Temer, francamente, passou dos limites. E não é à toa que até o próprio emudece quando indagado sobre a nomeação.

Aliás, confirmada a nota do site Bahia Notícias, de que calou-se ante a pergunta, Imbassahy frustra a expectativa dos que imaginavam ter ele alcançado, enfim, um nível de poder compatível com sua capacidade técnica e raciocínio político.

Colocado o pretendente nesse vai-não-vai por praticamente dois meses, perde força antecipadamente o cargo que ocuparia, pois se o possível titular não tem força para impor-se na cadeira, igualmente dela não disporá para altas negociações congressuais inerentes.

Como seria inacreditável que o presidente Temer, tendo tanto tempo para pensar, insistisse numa nomeação que lhe seria inútil e até prejudicial, é de se concluir que Imbassahy ministro, nesse governo, está difícil.



Exército em presídios é jogo de cena político

Data: 18/01/2017
23:12:12

O uso das Forças Armadas para fazer varreduras em presídios, livrando-os de armas e outros materiais ilegais, não passa de recurso de marketing de governantes que querem uma solução mágica para um problema crônico.

Não há nada que uma tropa do Exército seja capaz de fazer que não possa ser feito por uma tropa da Polícia Militar, e até melhor, porque são praças e oficiais com preparo específico para esse tipo de ação e, digamos, melhor conhecimento do público-alvo.

É questionável a conclusão, mas, proposta como uma panaceia, como já ocorre rotineiramente em grandes eventos internacionais no país, o apelo à atuação dos militares nos presídios parece sabujice e oportunismo de políticos que não confiam na própria autoridade.



Ordinário, marche!

Data: 18/01/2017
23:09:41

Aliás, nessa questão, o presidente Michel Temer atingiu o máximo do servilismo ou da ignorância de suas prerrogativas.

Anunciou que, “consultadas”, as Forças Armadas “se dispuseram” a colaborar com as medidas previstas para o sistema penitenciário.

Esqueceu-se, ou, apesar de “constitucionalista”, não sabe que o presidente da República comanda as Forças Armadas, submetidas a sua “autoridade suprema”, conforme o artigo 142 da Carta Magna.



Política pode derrubar secretário

Data: 18/01/2017
23:07:13

Está a prêmio a cabeça do secretário de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues. Seu crime: pretender disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa sem ser ligado a uma das forças políticas do PT, distribuídas em correntes, as quais o têm sob cerrado ataque.

A reforma do governo Rui Costa, prestes a ser anunciada, trará a solução desse conflito. Os defensores da queda alegam a necessidade de “acomodação política” e “novo gás” para a secretaria.

Os partidários de Jerônimo contra-atacam com seu trabalho de "interiorização do governo e atuação na pauta da agricultura familiar, mantendo acesa a imagem do governador em todas as regiões".

Qualquer que seja o resultado, essa briga interna, na avaliação de militante do setor, “demonstra que o PT continua a reproduzir o erro que levou à derrocada nacional: colocar o programa de lado em nome da disputa pelo poder”.



Desesperança com o poder de Renan

Data: 17/01/2017
15:06:50

Coisas das mais estapafúrdias do ponto de vista ético-institucional continuam acontecendo no Brasil e ninguém presta muita atenção, embora se diga que o país trava uma luta contra a corrupção na política e na vida pública em geral.

Por magnífico exemplo, a última de Renan Calheiros: na prerrogativa de presidente do Senado, mandou arquivar o pedido de impeachment do ministro do STF Gilmar Mendes apresentado à corte, acusando-o de violações constitucionais e regimentais.

A mais cristalina obviedade sugere que Renan, réu no Supremo Tribunal Federal, não poderia julgar nada que dissesse respeito a Gilmar, seu julgador. Se isso é admitido e aceito abertamente, pouco se pode esperar de bom.




Página Anterior   Próxima Página