Salvador, 01 de outubro de 2014

Único recurso de Aécio é bater em Marina

Data: 30/09/2014
09:56:10

Corre no meio político a lenda de que Aécio Neves comete um erro ao atacar, como vem fazendo há um mês, a candidatura de Marina Silva, com base no princípio de que, se são ambos de oposição, o alvo único deveria ser a presidente Dilma Rousseff, além do fato de que ele teria de preservar as relações para um possível acordo no segundo turno.

Mas a realidade, neste caso, é de simples interpretação: se, na visão da campanha de Aécio, Dilma está garantida na etapa final da disputa, a adversária direta de Aécio é Marina, e é ela que ele tem de ultrapassar se quiser manter vivo o sonho de vencer a eleição. Ficando em terceiro, pouco importará se ele continuará ou não amigo de Marina.

É uma situação mais ou menos semelhante à experimentada por Dilma quando, logo após a morte de Eduardo Campos, Marina deu um salto expressivo nas pesquisas de intenção de votos. Como Aécio seria, àquela altura, carta fora do baralho, à presidente nada restava senão atacar Marina para barrar seu crescimento e superá-la num eventual segundo turno.

Caso Marina houvesse mantido a grande perspectiva – que se chegou a alimentar – de ser a mais votada no primeiro turno, aí, sim, Aécio teria de concentrar seus ataques exclusivamente em Dilma. Sua postura atual, de “desconstrução” de Marina, é que lhe dá uma chance de avançar. Fazer as pazes com Marina será, então, outra etapa do processo.

Foi precipitado recurso de Souto ao TSE

Data: 30/09/2014
09:53:43

Na entrevista coletiva concedida na manhã de ontem, a cúpula da candidatura de Paulo Souto deu a entender que havia esgotado todos os recursos na Justiça baiana e que por isso apelaria ao Tribunal Superior Eleitoral para ter o direito de usar na propaganda de TV o escândalo do Instituto Brasil.

O prefeito ACM Neto chegou a dizer que a situação era semelhante à de 2012, quando ele, na reta final da campanha, teve de “recorrer a Brasília para impedir que a Justiça Eleitoral baiana resolvesse as eleições de Salvador” e assegurar a prevalência da “vontade soberana do povo”.

Não se sabe o motivo dessa estratégia, já que a decisão do juiz Cláudio Cesare foi revogada, ainda na tarde de ontem, por outro magistrado baiano, Wanderley Gomes, representante da classe dos advogados no Tribunal Regional Eleitoral. Na opinião de Gomes, Césare deu ao PT mais do que foi solicitado no mandado de segurança.

Associação duvidosa

Data: 30/09/2014
09:52:20

A propósito, nos bastidores da política foi visto como indevida a vinculação da decisão de Cesare ao fato de seu sogro, Jorge Hage, ser o ministro-chefe da Controladoria Geral da União.

Como prefeito de Salvador, deputado estadual, deputado federal, juiz e ministro, Hage, em sua longa carreira no serviço público, jamais teve assestada contra si qualquer suspeita que desabonasse sua seriedade e integridade moral.

Conceito reformulado

Data: 30/09/2014
09:28:15

A propaganda de Rui Costa (PT) mostrou um debate fake em que uma participante observa que o governo Jaques Wagner não tratou a questão das drogas “apenas pelo aspecto policial”, mas desenvolveu outras políticas, como a de saúde, para alcançar a “recuperação dos dependentes”.

Decididamente, foi-se o tempo em que os usuários de substâncias químicas, especialmente o crack, segundo palavras do próprio governador aproveitadas em campanha publicitária, só tinham dois caminhos: cadeia ou cemitério.

Festa da Primavera

Data: 30/09/2014
09:26:17

Inacreditável, fantástico, extraordinário: Paulo Souto (DEM) foi visto em carreata jogando beijinhos para o público.

Chapa de Rui vê intimidação do DEM à Justiça

Data: 30/09/2014
08:41:35

A coligação que tem Rui Costa (PT) como candidato a governador respondeu às críticas feitas pela chapa adversária em entrevista coletiva  – retratadas em matérias abaixo – por meio de nota encaminhada ontem à imprensa, que julgamos conveniente transcrever, a seguir, na íntegra:

“O comportamento dos candidatos do DEM, da oposição e do prefeito de Salvador, quando tecem críticas e lançam suspeição sobre o Poder Judiciário da Bahia, além de ser uma falta de respeito a um poder constituído, revela o incômodo desse grupo de conviver com o processo democrático e nada mais é que uma tentativa de intimidar a Justiça. É importante que as entidades de classe fiquem atentas a esse movimento e cerrem fileiras na defesa dos seus integrantes, para garantir a liberdade de ação dos mesmos.

“Quando tentam encontrar no Judiciário justificativas para a derrota eleitoral que se avizinha, eles deixam claro que têm saudades dos tempos em que o Poder Executivo subjugava os demais poderes e mostram o desejo de reeditar os tempos do coronelismo e do chicote, que felizmente a Bahia deixou para trás, com a força do voto livre e independente de sua gente. Esquecem que o povo baiano repudiou aquele tipo de comando e tem deixado muito evidente que não deseja retornar a um passado onde somente os ricos e poderosos tenham direitos e benefícios.

“Na verdade, o que aconteceu é que a Justiça não quis aceitar a armação eleitoreira de uma denúncia e eles reagiram da forma que sabem fazer, agredindo àqueles que deles divergem. A independência dos poderes e o respeito a cada um deles formam um dos sustentáculos da democracia, o que esse grupo não entende porque tem na sua origem a prática contumaz da imposição e da subserviência”.

Souto vai ao TSE contra "censura prévia"

Data: 29/09/2014
15:00:17

Para contestar o que definiu como “censura prévia” determinada pelo juiz plantonista do TRE Cláudio Cesare, a coligação do candidato ao governo Paulo Souto (DEM) anunciou para ainda hoje o ingresso, no Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília, de ação visando anular a decisão, o que não conseguir na instância local.

O juiz proibiu à propaganda da coligação utilizar a reportagem da revista Veja em que é apontado o desvio de dinheiro público para campanha de candidatos do PT no episódio que envolve o Instituto Brasil e sua presidente, Dalva Sele Paiva.

Souto disse que a acusação “não é criação da oposição", mas fatos denunciados “pelo próprio Ministério Público e investigados pelo Tribunal de Contas do Estado”.

Frisando ser este "um assunto antigo", o ex-governador destacou que a novidade é a entrevista da presidente do instituto vinculando o desvio de recursos destinados à construção de casas populares em favor de políticos petistas.

“Estamos sofrendo a censura de um juiz que tenta impedir que nossa propaganda reproduza fatos conhecidos, publicados em revista de circulação nacional”, afirmou.

A insinuação da campanha de Rui Costa (PT), de que a oposição patrocinou as declarações de Dalva Sele, foram rechaçadas por Souto. “Não temos nenhum tipo de participação nisso, não se tenta iludir dessa forma a opinião pública”.

O candidato cdo DEM reafirmou que Dalva Sele tem “vinculação estreita com o governo, como mostram novos fatos no jornal A Tarde de hoje”. Ele lamentou que “os adversários possam usar os mesmo fatos para tratar desse assunto”.

Souto criticou ainda o uso de mandado de segurança para estabelecer a proibição, um instrumento, segundo ele, inadequado a esse tipo de ação, sugerindo que os adversários agiram assim para direcionar o pleito a um único juiz plantonista – o supracitado Cesare.

Estado Maior

Data: 29/09/2014
14:54:45

As declarações de Souto foram dadas hoje, em coletiva realizada no comitê central da campanha. Estavam presentes os demais candidatos majoritários da coligação, Geddel Vieira Lima (senador) e Joaci Góes (vice), além do prefeito ACM Neto, deputado Antonio Imbassahy (PSDB) e o ex-secretário José Carlos Aleluia, candidato a deputado e presidente licenciado do DEM municipal.

Geddel suspeita de manobra política

Data: 29/09/2014
14:53:51

Coube a Geddel, falando em seguida, observar que o juiz que por oito vezes, como informou o advogado Ademir Ismerim,  tomou decisões desfavoráveis à oposição, é genro do ministro Jorge Hage, chefe da Controladoria Geral da União, sugerindo que haveria influência política na atuação do magistrado.

O candidato ao Senado citou o falecido Otávio Mangabeira, segundo quem a Bahia tem precedente para tudo, e declarou que “a censura prévia imposta à campanha impede que se comente “a arte de roubar os pobres”, numa referência ao título da matéria publicada na Veja, uma vez que os recursos desviados são do Fundo de Combate à Pobreza.

“Para tentar confundir o eleitor, o PT faz uma manobra diversionista, quando o que queremos saber é o mérito da questão, se Rui Costa recebeu ou não dinheiro dessa origem”, completou Geddel, lembrando que o senador Walter Pinheiro, “um militante histórico do PT”, atestou a veracidade da reportagem e culpou o partido pela situação.

Neto cita mensalão para contestar Wagner

Data: 29/09/2014
14:51:26

Indagado sobre a afirmação do governador Jaques Wagner de que se trata de uma “armação do DEM” e que o prefeito ACM Neto “diz bobagem”, Neto disse que “Dalva Sele e o Instituto Brasil têm relação antiga com o PT e o governo de sua excelência”, e que jamais viu ou manteve contato com a denunciante.

“Esta é a estratégia de quem não quer ou não pode se explicar: diz que foi ‘invenção’. Esse caminho é por demais conhecido. O mensalão também era uma invenção de Roberto Jefferson, mas o Supremo Tribunal Federal mandou um monte de companheiros de Jaques Wagner para a cadeia”.

O prefeito registrou a “gravidade para o Brasil” contida na decisão judicial por representar “a política da mordaça em pleno século XXI, uma afronta à democracia, à liberdade de manifestação e ao próprio direito que todo cidadão tem de ser informado sobre temas de interesse público”.

Para ele, “o PT tenta fazer uma inversão, inventando mentiras como a que colocava Dalva como servidora atual da Prefeitura de Salvador, quando ela trabalhou na administração municipal 18 anos atrás, na gestão de Lídice da Mata, que hoje é candidata a governadora”.

Imbassahy quer Polícia Federal no caso

Data: 29/09/2014
14:48:53

Discretamente postado na plateia, o deputado Imbassahy foi chamado a compor a mesa pelo prefeito, tendo sido providenciada mais uma cadeira para acomodá-lo. Prova de que Neto está atento a essa pequenas liturgias da política que têm grande significado.

O prefeito aproveitou para comentar a ida de Imbassahy a Brasília, junto com outros parlamentares e lideranças da oposição, para pressionar pela entrada da Polícia Federal na investigação do desvio de recursos.

Antes, o candidato Paulo Souto havia questionado a instauração de dois inquérito na Delegacia de Crimes contra a Administração Pública (Dececap), do governo estadual. Um processo diz respeito ao Instituto Brasil e outro foi provocado pelo PT, acusando Dalva Sele de caluniar membros do partido.

Além de entender que a Dececap não tem competência para fazer o segundo inquérito, Souto disse que “somente a Polícia Federal tem autoridade e isenção” para apurar a denúncia, que envolve recursos federais.

Hoje tem debate

Data: 29/09/2014
14:47:19

Os interessados em ver essa problemática ao vivo podem sintonizar às 22h15 de hoje a TV Aratu, que estará promovendo um debate entre os candidatos a governador.

Novo viaduto não dá retorno para a Boca do Rio

Data: 28/09/2014
15:16:16

Este blog tem sido um observador especialmente rigoroso do “complexo” Imbuí-Paralela, registrando alguns problemas de projeto e de execução que demonstram falta de planejamento e de cuidado com a verdadeira finalidade da obra, que é servir da melhor maneira à comunidade.

Essas críticas podem ser comprovadas pelo simples uso das vias pré-existentes, construídas ou adaptadas na região, com buracos, deformações, má sinalização, nós de trânsito e outros aspectos que outra conclusão não permitem que não o de uma iniciativa antes de tudo eleitoral.

É óbvio que seria impossível, ante os graves entraves que já havia na região, que alguma coisa não melhorasse com as alternativas criadas, o que não exime todo o empreendimento de firme condenação por não corresponder como deveria ao pleno interesse público.

Já tratamos dessa questão em postagens anteriores, sendo dispensável repisar pontos negativos abordados, mas a inauguração do último viaduto do conjunto, ontem, pelo governador Jaques Wagner, patenteia o que era uma previsão: não há, pela nova via, acesso ao bairro da Boca do Rio nem ao gigantesco condomínio Quintas do Imbuí, muito menos ao densamente povoado loteamento Jardim Bolandeira.

O motorista que, vindo da Avenida Paralela e usar o viaduto  para chegar a um desses locais, terá de seguir pela pista interna da Rua das Araras, retornar pela Avenida Jorge Amado e novamente retornar por baixo do próprio viaduto para pegar a pista da direita – um escândalo de visão urbanística.

A saída será cortar o canteiro central da Araras, embora isso não seja garantia de solução, pois interferirá numa corrente volumosa de tráfego, gerando mais congestionamento.

Os gestores da obra têm sido férteis em soluções emergenciais, como a da implantação da terceira faixa no retorno sob o viaduto e na mudança de funcionamento de sinaleiras da área. Assim, tenhamos fé em que até 5 de outubro algum outro coelho seja tirado da cartola dos engenheiros.

Diretor desconhece projeto que gerencia

Data: 28/09/2014
15:12:35

A edição de ontem da Tribuna da Bahia da Bahia publica declaração do diretor de Obras Estruturantes da Conder, Sérgio Silva, que é a comprovação cabal da desinformação sobre a realidade do “complexo” Imbuí-Paralela.

Disse ele que “quem deseja acessar os bairros do Imbuí, Boca do Rio (...) não precisará mais seguir até o viaduto existente na Avenida Luís Eduardo Magalhães”.

Não é verdade. Como dito em texto acima, a pista interna da Rua das Araras, ao longo dos quiosques do parque do canal, conduz diretamente à Avenida Jorge Amado em direção à orla, exigindo o absurdo duplo retorno.

Exatamente ao contrário do que afirmou o diretor Sérgio, no caso citado, os motoristas terão de ir até a Luís Eduardo se quiserem chegar diretamente à Boca do Rio, assim como ao Quintas ou ao Jardim Bolandeira.

Aliás, uma providência simples da empresa pública, ou de alguém que se sinta responsável, seria mandar retirar do acesso e do percurso do novo viaduto as placas com a falsa indicação “Boca do Rio”.

Viaduto engarrafado é coisa velha

Data: 28/09/2014
15:10:46

Também A Tarde na sua edição de ontem, na prestigiada coluna Tempo Presente, publicou que “definitivamente o novo viaduto Imbuí-Paralela entrou na era dos engarrafamentos”, atribuindo o fato ao acidente com uma caçamba que atrapalhou o tráfego na região por toda a manhã de sexta-feira.

Moradores e comerciantes do bairro, mais habituados ao trajeto, já haviam constatatado, na outra perna da via, a Imbuí-Paralela, a tal da “retenção” , como dizem os técnicos e os radialistas. Mas nada que, mesmo aos olhos de um leigo, embora usuário, não pudesse ser previsto.

Em 30 de junho passado, portanto um mês e meio antes da abertura ao tráfego do “Eduardo Campos”, este blog considerava as variáveis do sistema para postar matéria sob o sugestivo título “Uma visão de viadutos engarrafados”.

De prazo nem é bom falar

Data: 28/09/2014
15:07:57

Vale ressaltar que as obras foram iniciadas em maio de 2013, com prazo de dez meses para conclusão. Um ano e quatro meses depois, continuam mal-acabadas.

Procura-se homenageável

Data: 28/09/2014
15:07:22

Não foi anunciado nome para o viaduto Paralela-Imbuí, o terceiro do conjunto, inaugurado sábado pelo governador Wagner.

No segundo, entregue em agosto, faturou-se a morte do ex-governador Eduardo Campos, aproveitando-se o ensejo para batizar o primeiro da série, o de Narandiba, com o tardiamente lembrado o nome do governador Marcelo Déda, falecido no ano passado, seis meses antes da inauguração.

Este último, por ser a “contramão” do anterior, diz o bom senso que deverá ser o mesmo “Eduardo Campos”, mas como a época é eleitoral é possível que o marketing esteja atrás de algum defunto mais ou menos recente.

Pensamento do dia

Data: 28/09/2014
15:05:43

Pra segurar sua cachaça, tome mais uma.

BLAGUE NO BLOG - Onde já se viu?!

Data: 28/09/2014
15:05:12

Anos 80, o rádio do táxi engata Caetano: “Gosto de sentir a minha língua roçar a língua de Luís de Camões...”

E o motorista, avançado nos anos, com a voz arrastada conotando reprovação total: “Viado descarado”.

Historiador acusa Marina de desvirtuar PSB

Data: 27/09/2014
08:33:56

O cientista político e historiador Luiz Alberto Moniz Bandeira sugeriu ao presidente do PSB, Roberto Amaral, que deixe o cargo, na reunião do partido marcada para hoje, em razão das posições que vêm sendo defendidas pela candidata presidencial Marina Silva, que assumiu a cabeça da chapa após a morte do ex-governador Eduardo Campos.

Apontando em Marina ideias “contrárias às diretrizes ideológicas do PSB e às linhas da soberana política exterior do Brasil”, Moniz criticou suas declarações “contra o Mercosul, a favor do subordinação e alinhamento com os Estados Unidos, contra o direito de Cuba à autodeterminação”, que “enxovalham ainda mais” o partido.

O convite de Campos para que Marina fosse candidata a vice-presidente revelou-se, segundo o historiador, “um trágico equívoco”, pois a nova aliada, embora muito popular e com altos índices de intenção de votos, “nada lhe transferiu, e ele não saiu de um percentual entre 8% e 10%” nas pesquisas.

Pesquisas: regulação em nome da democracia

Data: 27/09/2014
08:32:45

É incrível que num país que implantou a urna eletrônica e argumenta que isso praticamente impede a fraude eleitoral, haja tanta permissividade quanto a pesquisas que pautam o comportamento da imprensa e do eleitor.

Um olhar para eleições recentes e do passado pode não dizer nada ao “povo em geral”, mas mostrará com clareza a magistrados, cientistas políticos e até jornalistas que o processo é rico em manipulação.

No entanto, temos de aguentá-lo agora diariamente, com números e métodos tão elásticos quanto desconhecidos, apesar dos “registros” perante a autoridade eleitoral, e principalmente absorver seu impacto silencioso no voto.

Objetivo constante de utilização na propaganda dos candidatos, estabelecendo-se entre as coligações envolvidas uma guerra em que cada uma faz suas próprias interpretações e ilações, as pesquisas eleitorais, a menos que isto contrarie altos interesses ocultos, carecem, pelo menos, de regulação.

As necessidades vão da fiscalização efetiva dos métodos empregados e das áreas cobertas a prazos e periodicidade em que possam ser divulgadas, entre outros parâmetros. Danoso para a democracia e a manifestação popular será sua permanência em condições que claramente levam influência às eleições.

Uma mulher em Ondina

Data: 27/09/2014
08:31:10

Este blog apoia a candidata a governadora que tem 1% no Ibope.

Como sempre

Data: 27/09/2014
08:30:36

Sobre “o povo em geral” citado em nota acima, trata-se de parte de antigo chavão das redações nos textos sobre desfiles e solenidades públicas: “Compareceram autoridades civis, militares e eclesiásticas e o povo em geral”.

Um cidadão, que nem jornalista é, mas médico, interpretou, já naquela época, com crueza, embora com realismo: “O povo em geral é aquele que vai de ônibus, fica no sol e na chuva e toma porrada da polícia”.

Wagner entrega viaduto

Data: 27/09/2014
08:29:38

Aguarda-se o dia em que, em variados horários, não haja engarrafamentos nas marginais da Avenida Paralela construídas na altura do Imbuí, assim como no viaduto inaugurado há pouco mais de um mês e nas vias principais do bairro – Avenida Jorge Amado e Rua das Araras.

Logo mais, às 9 horas, em meio a obras a toque de caixa, adaptações de projeto e descaso com o acabamento, será entregue o segundo viaduto, com a presença do governador Jaques Wagner.

Denúncias trouxeram líder de volta

Data: 27/09/2014
08:28:47

A liderança da oposição na Assembleia Legislativa vinha sendo exercida pelo deputado Carlos Gaban, que não é candidato à reeleição, ao contrário do líder Elmar Nascimento, que foi “liberado” para fazer sua campanha.

Gaban ficou na retaguarda, para possíveis conversas com a representação do governo para encaminhamento da votação dos projetos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, que não saiu nem sairá tão cedo.

As denúncias sobre as relações entre o Instituto Brasil e o PT, no entanto, fizeram Elmar desembrenhar-se dos interiores que percorre e meter novamente a cara na mídia. O tema mostrou-se de relevante interesse eleitoral.

Campanha mostrará quem foi o pior

Data: 27/09/2014
08:27:44

Um escândalo como esse é material de primeira na confusão instituída nas campanhas políticas no Brasil, em que os candidatos levam mais da metade do tempo em explicações e ataques aos adversários.

Falar em proposta, sinceramente, é brincadeira. Que qualidade gerencial têm, de fato, esses políticos que nos representam e nos governam há décadas? – e não falemos só da Bahia, que é o Brasil levado às últimas consequências, nas palavras de Mangabeira.

Quais são os índices da Bahia, cujos “bons”, uns se gabam de ter melhorado, enquanto os “ruins” são atribuídos a obra dos adversários? Qual, de qualquer dos grupos, pode ter coragem de olhar os olhos do povo e falar sobre saúde, segurança, educação, transporte, segurança pública?

Não vamos contabilizar percentagens em números confrontantes, porque, se as vítimas dos homicídios, da doença desassistida, da ignorância disseminada, são dez mil ou vinte mil, pouca diferença, na verdade, fará.

Ferryboat entra na disputa pelo Senado

Data: 25/09/2014
09:22:13

Atenta aos fatos mais palpitantes deste finzinho de campanha, a propaganda do candidato ao Senado Geddel Vieira Lima volta-se para o ferryboat.

Poderia ser ao sistema “como um todo”, que teve e ainda tem momentos de crise, com quebras, derivas, atrasos, filas quilométricas e atracações esquisitas, mas no presente momento há foco mais interessante.

É que ainda não se sabe quando os novos ferries, "Dorival Caymmi" e "Zumbi dos Palmares", entrarão em serviço, porque, depois de o governador Jaques Wagner afirmar que fará domingo a viagem inaugural, a Agerba declara que a fase é de testes, sem previsão de operação.

Há algo estranho nessa história, o que levou, por exemplo, o arquiteto Fernando Peixoto, em comentário radiofônico, a questionar os tais “testes de estabilidade” que estariam sendo feitos, pois se os ferries cruzaram o Atlântico não é nas águas fechadas da Baía de Todos os Santos que correrão risco de adernar.

Insinua-se uma novela em tudo semelhante à da própria aquisição e navegação das duas embarcações da Grécia ao Brasil, quando a chegada foi prevista e cancelada três ou quatro vezes.

É assunto altamente eleitoral, por se tratar de serviço essencial no transporte metropolitano cuja recuperação prometida pelo governo foi posta justamente sob a responsabilidade do hoje candidato oficial ao Senado, Otto Alencar – dai a investida de Geddel.

No noticiário ao longo da semana, no entanto, há uma informação a corrigir do portal de A Tarde: ao participar, segunda-feira, do programa de Raimundo Varela na TV Record, Wagner não anunciou o funcionamento dos dois barcos. Disse apenas que domingo virá num deles de Itaparica para Salvador. “Não sei se no Caymmi ou no Zumbi”, completou.

Público desconhece o vilão desta novela

Data: 25/09/2014
09:18:33

Aliás, o caráter novelesco permeia também a campanha para o governo do Estado: Rui Costa e Paulo Souto esgrimem a respeito do rumoroso envolvendo o Instituto Brasil, Dalva Sele Paiva e os milhões que foram desviados da construção de casas populares na Bahia.

O pobre cidadão comum, eleitor desinformado, que é o perfil da maioria da população, sofre bombardeio diário e fica sem saber quem pagou, quem não pagou, quem contratou, que não contratou, quem desviou, quem não desviou.

O motivo

Data: 25/09/2014
09:17:26

Entre altos petistas, comentou-se tão logo o senador Walter Pinheiro declarou ser responsabilidade do partido, e não dele, o caixa dois que alimentou sua campanha: “Tá vendo por que ele não foi o candidato a governador?”

Muy aliado

Data: 25/09/2014
09:15:52

“Qualquer discussão envolvendo um possível apoio a Marina, só depois do segundo turno”, respondeu José Serra a um jornalista, em declaração que Aécio Neves poderia perfeitamente dispensar.

Em política, quando a aliança é autêntica, toda hipótese desfavorável, por mais plausível que seja, é logo descartada com veemência. Serra deveria dizer: “Meu candidato Aécio Neves é que estará no segundo turno”.

Ao reduzir a decisão apenas a uma questão de tempo, Serra disse, na verdade, que Aécio não irá ao segundo turno, ou pelo menos é isso que ele deseja.

 Próxima Página >