Salvador, 02 de setembro de 2014

Palavras não movem a campanha

Data: 02/09/2014
10:47:33

É apenas uma força de expressão, mas talvez fosse melhor para a presidente Dilma Rousseff (PT) desistir de participar dos próximos debates para não ter prejuízo eleitoral ainda maior que o que vem sofrendo.

Enfrentando, afinal, seis opositores, foi, naturalmente, um alvo fácil, e como é a única que tem, de fato, algo a perder, ontem no SBT certamente perdeu um pouco mais do seu patrimônio.

A conjuntura conspirou contra Dilma. Ela teve de partir para o confronto com Marina Silva (PSB), pois sabe que, se o desastre maior não ocorrer antes, tê-la-á pela frente no segundo turno e trata de combatê-la desde já.

Aécio Neves (PSDB), para ela, é passado, será muito difícil que a ultrapasse. Mas como a esperança é a última que morre, o senador mineiro obviamente vira seus obuses para a presidente, pois é sua única rota de fuga da lanterna.

Ao partir contra Marina, escolhendo-a como primeira debatedora, Dilma mostrou dissintonia com o espírito da campanha, apelando para os números e para realizações do seu governo.

O choque entre as duas acabou prevalecendo no programa, porque, se uma perguntava à outra, ainda acharam jornalistas que perguntavam a uma e mandavam a outra comentar. E nos exemplos vistos, Marina saiu-se muito melhor.

O conteúdo não interessa a esta altura, seja segurança pública ou juros da dívida, muito menos a taxa Selic. Promessas e compromissos, todo mundo faz. O que está em vigência no presente momento é a emoção que só deriva de uma fonte: a expectativa autêntica de mudança.

Dê no que der uma eventual presidência de Marina, o eleitorado parece ter concluído que já experimentou o suficiente os outros cardápios postos à disposição. Os candidatos em geral se assemelham a figurantes ante a ascensão fulgurante da seringueira.

Presidente titubeante

Data: 02/09/2014
10:44:24

Não será necessário que digamos, pois a própria candidata Dilma admitiu que estava nervosa. Sua falta de segurança ficou exposta na constante leitura que fazia de anotações no púlpito.

Numa intervenção desastrada, confundiu as normas do programa e não queria que o candidato Eduardo Jorge (PV) fizesse uma pergunta.

A presidente não conseguiu explicar a degradação do sistema penitenciário e apenas respondeu que tinha investido R$ 1 bilhão para reforma e construção de unidades.

Deu-se ao luxo de produzir uma frase absolutamente vazia, descontextualizada e... errada: “Eu nunca deixei de fazer algo que não fosse a favor dos brasileiros”.

Pequeno deslize

Data: 02/09/2014
10:42:30

A propósito, o mediador Carlos Nascimento determinou que o candidato Pastor Everaldo (PSC) indagasse Levy Fidelix (PRTB) como única opção, quando havia ainda a candidata Luciana Genro (PSOL).

PSOL contra as oligarquias

Data: 02/09/2014
10:41:48

A candidata do PSOL “salvou” a discussão ideológica ao dizer que a defesa do fator previdenciário e a desvinculação entre aposentadorias e salário mínimo são uma marca dos governos tucanos e petistas que permanecerá com Marina Silva.

As candidaturas de Dilma, Marina e Aécio “se unificam também na política econômica”, declarou Luciana, chamando a atenção para o fato de que cinco mil famílias detém 40% da riqueza brasileira.

Jogo sujo

Data: 02/09/2014
10:40:44

O momento baixaria coube ao candidato Levy Fidelix ao afirmar que “tem candidata aqui que anda com sonegadores”, referência a Marina Silva, que ficou clara quando foram citados o empresário Guilherme Leal, da Natura, e o Banco Itaú, colaboradores de Marina que teriam dívidas tributárias.

Momentos depois, Fidelix reagiria à acusação de Eduardo Jorge de que o PRTB era uma “legenda de aluguel”, dessas que participam de eleições não para vencer, mas para fazer “ataques terceirizados”, isto é, a serviço de outra candidatura.

Domingo no parque

Data: 02/09/2014
10:39:42

Tempo doce está vivendo o governador Jaques Wagner, e por tabela seu candidato ao governo do Estado, Rui Costa (PT).

Hoje, Wagner entrega sistema de drenagem em Plataforma, na capital, amanhã estará inaugurando rodovia pavimentada em Gongogi e na sexta-feira baixa em Feira de Santana para dar à posse 922 apartamentos e casas.

Sem máquina e sem caneta, Paulo Souto (DEM) vive seu momento democracia. Vai à Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia debater uma pá de propostas para a categoria.

Enquanto isso, o prefeito ACM Neto curte mais 15 dias de roda-gigante na Barra.

Debate presidencial logo mais, às 17h45

Data: 01/09/2014
15:42:00

Uma grande novidade ao eleitorado brasileiro apresenta hoje o SBT, rede de televisão que na Bahia é retransmitida pela TV Aratu: um debate de candidatos a presidente da República que se iniciará às 17h45, horário que permitirá audiência bem maior que na faixa das 22 horas, em que comumente é feito esse tipo de programa.

Com uma hora de duração em quatro blocos e mediação do jornalista Carlos Nascimento, o debate tem a participação confirmada dos candidatos Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB), Aécio Neves (PSDB), Pastor Everaldo (PSC), Luciana Genro (PSOL), Eduardo Jorge (PV) e Levy Fidelix (PRTB).

O sistema acertado pelo SBT e coligações é mais enxuto: dois blocos terão perguntas livres entre os candidatos, outro terá perguntas de  jornalistas e o último será para as considerações finais. A pergunta será feita em 30 segundos, com um minuto e meio para a resposta, 45 segundos para a réplica e 45 segundos para a tréplica.

Governo e oposição se misturam pela Assembleia

Data: 01/09/2014
09:20:28

Estudo conjunto de Por Escrito e Instituto Séculus estima a formação da Assembleia Legislativa nas eleições de 5 de outubro, sem levar em conta dois fatores: eventuais decisões da Justiça cassando candidaturas e a influência do crescimento de Marina Silva (PSB) no pleito presidencial.

A previsão geral é de que o chapão do governo elegerá 26 deputados contra 23 do chapão da oposição. Ainda no lado governista, o PCdoB fará três, enquanto no lado oposicionista a coligação PSB-PSL-PPL elegerá cinco parlamentares e os chamados “nanicos”, outros quatro.

Os dois deputados que faltam para completar as 63 cadeiras vão depender do cenário futuro, sujeito a alterações nestes 30 dias em que se intensificam as campanhas. São vagas flutuantes, que tanto poderão ser preenchidas pelo governo quanto pela oposição.

Pela participação de vários deputados hoje governistas nas coligações oposicionistas, especialmente a liderada pelo PSB e a das pequenas legendas, é até difícil arriscar a correlação de forças que sairá das urnas, mas se sabe que haverá movimentações distintas, a depender de quem seja o próximo governador.

Com uma vitória de Paulo Souto (DEM), é certo que se manterão na oposição PT e PCdoB. Se o vencedor for Rui Costa (PT), os oposicionistas firmes serão DEM, PMDB e PSDB. Caso a governadora seja Lídice da Mata (PSB), será uma novidade política e a questão estará em aberto.

PSD concorre pela maior bancada

Data: 01/09/2014
09:18:53

Na bancada do governo, são os seguintes os candidatos dados como garantidos: no PSD, Rogério Andrade, Mirela Macedo, Alan Sanches, Angelo Coronel, Adolfo Viana, Ivana Bastos e Robério Oliveira.

No PT, Zé Neto, Rosemberg Pinto, Fátima Nunes e Zé Raimundo. No PP, Carlos Robinho, Aderbal Caldas, Luiz Augusto e Eduardo Salles. No PDT, Marcelo Nilo, Roberto Carlos e Euclides Fernandes. No PR, Reinaldo Braga.

Disputam sete ou oito vagas, pelo PT, Paulo Rangel, Neusa Cadore, Maria del Carmen, Luiza Maia e Joseildo Ramos, pelo PSD, Carlos Ubaldino, Temóteo Brito e Angela Sousa, além de Paulo Câmera (PDT) e Antônio Henrique Júnior (PP).

Perspectiva é de cinco entre PSB e PSL

Data: 01/09/2014
09:17:48

Na coligação liderada pelo PSB, são favoritas as candidaturas de Nelson Leal (PSL) e do Pastor Manassés (PSB). Sobram três cadeiras em jogo, talvez mais, a depender da “onda 40” de Marina. Concorrem Deraldo Damasceno, Paulo Henrique Carneiro, Fabíola Mansur, Tiago Simões e Rodrigo Hita.

O PCdoB, que está sozinho no pleito, deverá eleger Fabrício Falcão, restando duas vagas para a disputa de Bobô, Olívia Santana, Álvaro Gomes, Kelly Magalhães, Crisóstomo Zó e Aldenes Meira.

DEM liderará na oposição

Data: 01/09/2014
09:16:53

Na oposição, deverão ser eleitos 18 parlamentares, com o DEM formando a maior bancada: Sandro Régis, Fábio Souto, Targino Machado, Tom Araújo, Pablo Barrozo e Luciano Ribeiro. A seguir virá o PMDB, com Bruno Reis, Pedro Tavares, Leur Lomanto Junior e Luciano Simões Filho.

O PSDB elegerá Soldado Prisco, Augusto Castro e Adolfo Viana, pelo PRB ganharão José de Arimatéia e Sidelvan Nóbrega, pelo PTN, Carlos Geilson e Alex Lima, e pelo PSC, Heber Santana.

Competem pelas cinco vagas restantes Herzem Gusmão (PMDB), Anderson Muniz (PTN), Sargento Isidório (PSC), David Rios (PTN), Alan Castro (PROS), Tato Pereira (PSDB), Alex da Piatã (PMDB), Hildécio Meireles (PMDB), Vando (PSC) e Coronel Gilberto Santana (PTN).

Oito têm chance nos "nanicos"

Data: 01/09/2014
09:15:36

Nos pequenos partidos, não há candidatura garantida, e são oito os principais nomes para as quatro vagas: Jurandy Oliveira (PRP), Jânio Natal (PRP), João Rabelo (PTdoB), Marquinho Viana (PV), Uziel Bueno (PV), Lucas Bocão (PTC), Coronel Serpa (PTdoB) e Wank Medrado (PV).

Esperança de Dilma é segundo turno com Marina

Data: 30/08/2014
11:17:03

Desde a primeira eleição presidencial direta após o regime militar, em 1989, o anseio fundamental da população é pela ética na política, que, afinal, é a base para o exercício dessa atividade essencial.

Foi assim, com a promessa de caça aos “marajás” da República, que “o novo” Fernando Collor consolidou a imagem que o faria vencer aquele pleito, sobrepujando nomes sedimentados na vida nacional, como Ulysses Guimarães, Mário Covas, Leonel Brizola e  o próprio Luiz Inácio da Silva, que despontava.

No mais remoto interior, esta foi a declaração de um cidadão desdentado ao ser instado a votar em outro candidato: “Aqui é ‘Cola’, é ele que vai prender os ladrão”, não adiantando argumentos como “a história” que teriam outros concorrentes.

O vice Itamar Franco foi um sucessor acidental de Collor, para completar um mandato atropelado pela corrupção, mas assegurou a eleição do seu ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, com a espetacular vitória sobre a inflação, algo que os brasileiros nem sonhavam que pudesse acontecer.

Oito anos depois, com a reeleição que ele mesmo patrocinou, FHC teve de engolir, enfim, a ascensão de Lula, que cavalgava um tipo superlativo de ética: a de que um governante não pode deixar seu povo morrer à míngua, como supostamente vinha acontecendo.

Chegaria ao poder, no imaginário coletivo, o homem que, à frente de um partido nascido das “bases”, comandaria uma transformação que inverteria a lógica da acumulação de riqueza e propiciaria à maioria da nação, inicialmente, a esperança, que seria seguida pela prosperidade e pela felicidade.

Hoje sabemos como tudo transcorreu, com repetição de vícios e métodos que em nada contribuíram para o povo brasileiro valorizar o instrumento da política. A esperança, entretanto, é um poço sem fundo – por mais que estejamos caindo há sempre a perspectiva de nos agarrarmos a alguma coisa.

O nome desse galho em que almejamos segurar, impedindo ou aliviando a queda infinita, é Marina Silva, e isso pode ser visto no constante crescimento que vem conquistando no universo eleitoral desde a morte de Eduardo Campos, a ponto de, a esta altura, ser encarada mesmo como um fenômeno.

Não adianta imaginar o contrário, porque a precipitação dos fatos apenas dourou de emoção uma candidatura que já possuía um patamar erguido com os rótulos – não necessariamente as virtudes – da coerência, da firmeza, da seriedade, dos princípios, enfim, da velha e desejada ética.

Também não adianta a presidente Dilma falar em “obscurantismo”, “retrocesso”, “incompetência”, porque, nas atuais condições, o confronto com Marina lhe será altamente prejudicial. Melhor seria garantir de forma mais discreta um lugar no segundo turno e lutar para ver se o resultado final não será o que hoje se prenuncia.

Fora de combate

Data: 30/08/2014
11:12:29

Comentário um tanto mórbido ouvido no meio político: “A única chance de Aécio agora é arranjar um avião e botar Marina para cair”.

Jurandy busca nono mandato

Data: 30/08/2014
11:11:51

Embora reconhecendo o “grau de dificuldade crescente nas eleições quando não se detém o poder econômico”, o deputado Jurandy Oliveira (PRP) empenha-se na campanha à reeleição para alcançar o que seria, na Assembleia Legislativa, um recorde: o nono mandato consecutivo.

Jurandy está há 43 anos na vida pública, tendo iniciado a carreira como prefeito de Ipirá em 1971, ainda pelo velho MDB. “Sou grato pelo apoio que até hoje venho recebendo da população e espero retribuir essa confiança com muito trabalho, de forma leal e honesta, para melhorar cada vez mais as condições de vida dos baianos”, disse Jurandy.

Conclusão natural

Data: 30/08/2014
11:10:51

A avó, pouca afeita a detalhes da política, pergunta à neta: “Lula é candidato a quê?”

“A nada, por quê?” E a resposta, coberta de lógica: “Porque toda hora aparece a cara dele aí”.

Relator garante votações da PM e Bombeiros

Data: 30/08/2014
11:09:41

Relator dos projetos que reorganizam as estruturas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, o deputado Zé Raimundo (PT) informa que, “após as mediações e negociações” em curso, “o processo está se afunilando” para que a votação possa ocorrer na próxima semana.

Como se rechaçasse a possibilidade de os projetos não irem ao plenário antes das eleições, como se comenta nos bastidores, o parlamentar lembrou que esse é “um compromisso do governador Jaques Wagner com as entidades” representativas das corporações, tendo para isso estimulado “uma discussão democrática”.

Zé Raimundo disse que os encaminhamentos envolvem também Casa Civil , Secretaria da Administração, Secretaria da Segurança Pública e comando da Polícia Militar, além do líder do governo, Zé Neto, e da Procuradoria da Assembleia. “Estamos fazendo um esforço conjunto para finalizar o relatório”, concluiu.

Governista nunca viu "tanta dificuldade"

Data: 30/08/2014
11:08:35

Deputado governista sempre sincero em suas análises teme pela sorte do candidato ao governo Rui Costa (PT). “Com 15% nas pesquisas a uma altura destas, só resta a esperança da televisão para mudar as coisas”.

Segundo o parlamentar, não há nada contra a pessoa de Rui, mas “ninguém conhece ele”, o que afeta também a campanha das chapas proporcionais. “Nunca vi tanta dificuldade para deputados do governo, e eu tiro por mim”.

Um dado na última pesquisa chamou a atenção do deputado: a expectativa de vitória de Paulo Souto é de 51 a 10, o que significa que um terço dos eleitores de Rui Costa não acredita que ele seja eleito. “E agora o povo botou na cabeça que Paulo Souto já ganhou”.

Cacá confiante

Data: 30/08/2014
11:07:31

Já o deputado Cacá Leão (PP), que agora tenta a Câmara dos Deputados, diz que a chapa majoritária do governo “arrasta multidões por onde passa”, o que o faz acreditar na vitória “no primeiro turno”.

Em Ibicaraí, segundo ele, foram oito mil pessoas, enquanto em Rui Barbosa e Itaberaba a plateia chegou a 12 mil. “Paulo Souto não mostra essa força, tanto que as fotos da campanha dele nuna focalizam o público, só o palanque”, provocou.

Fome de votos

Data: 30/08/2014
11:06:39

Embora aparentemente não demonstre, Cacá disse que ganhou seis quilos na campanha. "Domingo passado mesmo, almocei três vezes”.

Helicóptero

Data: 30/08/2014
11:05:55

O ex-governador Paulo Souto (DEM) poderia dispensar uma demagogia em sua campanha ao governo do Estado: dizer que vai destinar o helicóptero do governador para uso da Polícia Militar.

A menos que o motivo seja outro, como o medo de voar, por exemplo, Souto deveria, caso eleito, usar a aeronave para melhorar sua circulação pelo Estado, que é extenso, e assim otimizar o desempenho da gestão.

Guerra santa

Data: 30/08/2014
11:05:11

No populoso distrito de Itamira, no município de Aporá, evangélicos da Assembleia de Deus estão revoltados com o deputado Carlos Ubaldino (PSC), pastor ligado à igreja, e pressionam o pastor local, Jeferson Paz, a retirar-lhe o apoio eleitoral.

O pecado de Ubaldino, que tenta o terceiro mandato, foi, segundo os fiéis, ter concelebrado uma missa católica com o padre José Braz, na paróquia da sede, no último dia 15, quando se realizou a tradicional festa de São Roque.

Presidente do TJ visita Dr. Jesus

Data: 28/08/2014
22:29:52

O presidente do Tribunal de Justiça, Eserval Rocha, visitará às 11 horas de amanhã a Fundação Dr. Jesus, hoje considerada uma referência no Estado e no país no tratamento, prevenção e recuperação de dependentes químicos – um serviço completamente gratuito a todos que o procuram.

Atualmente com quase mil internos, a Fundação, na rodovia BR-324, mantém parceria com empresas para capacitação e absorção de profissionais em diversas atividades produtivas, como panificação, corte e costura, solda e mecânica, habilitando para o mercado de trabalho jovens que viviam sem futuro pelas ruas.

O desembargador Eserval participará, na oportunidade, do projeto “A sociedade no combate à prevenção de drogas”, um desdobramento do programa estadual Pacto pela Vida, criado por lei no âmbito do Sistema de Defesa Social, com o objetivo principal de promover a paz social.

Pensamento do dia

Data: 28/08/2014
11:45:57

Na política, é lícito desejar a desgraça alheia.

De tango e messianismo na eleição presidencial

Data: 28/08/2014
11:45:19

O cenário brasileiro exibe tons de argentinização – a vocação à tragédia política dos nossos vizinhos que a crônica esportiva tenta transformar em inimigos.

É verdade que temos nosso próprio histórico no ramo, com o suicídio de Getúlio, a renúncia de Jânio e a morte de Tancredo, mas o quadro atual traz fortes emoções, porque transcorre, por assim dizer, às claras, compartilhado em tempo real por milhões e milhões.

A mudança drástica e brusca no processo sucessório aponta para o desconhecido, porque novas gerações de eleitores vislumbram a possibilidade de ter algo diferente do que sempre viram.

Mas a trajetória de Marina Silva, a despeito da experiência que certamente tem e demonstra com desenvoltura, não aconselha os setores da “velha política” e, por extensão, da “velha economia”, a baixarem a guarda.

A luta vai ser de morte – morte política, bem entendido, como no golpe que representou o fracasso da criação da Rede em 2013. Tudo será feito para barrar à candidata o caminho que a ela se abre.

Nada, porém, frustrará esse espetáculo se o roteiro já tiver sido escrito com jeito de tango na música incidental. Estaríamos diante da inevitabilidade de Marina, messiânica, comandar um novo pacto para a nação.

Desafetados

Data: 28/08/2014
11:43:16

Enquanto o PT fechou questão sobre a venda de terrenos do município, vereadores preferiram deixá-la entreaberta.

Abaixo da tabela

Data: 28/08/2014
11:42:31

Dois cidadãos trocavam ideias no estacionamento da Assembleia Legislativa sem notar que o diálogo era captado nas proximidades.

“Os dois mil votos que tenho só dou por 100 mil”, disse o primeiro, prontamente contestado pelo interlocutor: “Como você vai vender por 100 mil se nós tamos conseguindo de 150 a 200 mil?”

A explicação: “Mas meu município é diferente do seu” – não se sabendo se essa diferença era no tamanho ou na necessidade do eleitorado.

Levanta-te

Data: 28/08/2014
11:40:19

De um governista: “A saúde está tão bem na Bahia que os hospitais ressuscitam mortos".

Escolas de tempo integral

Data: 28/08/2014
11:39:44

O secretário geral do PSB baiano e candidato à Assembleia Legislativa, Rodrigo Hita, não admite dúvida sobre o compromisso da candidata ao governo Lídice da Mata de fazer na Bahia a escola de tempo integral.

“Em Pernambuco”, afirmou, “o governador Eduardo Campos mostrou que isso não é impossível. Ele encontrou sete escolas e ao terminar o governo deixou 383”.

Titulares e reservas jogam para o Senado

Data: 28/08/2014
11:38:48

A disputa entre os dois principais candidatos ao Senado continua exigindo dos cabos eleitorais. Geddel Vieira Lima se conforma com uma solução local, o prefeito ACM Neto. Otto Alencar achou melhor buscar o ex-presidente Lula.

Claro que os coadjuvantes também entraram em cena. Joaci Góes, que é vice na chapa de Paulo Souto, ao apoiar Geddel com toda ênfase, deu-lhe, por insuspeito, um atestado de isenção quanto à fama de que seria “um novo ACM”, como já se disse maldosamente no passado.

O governador Jaques Wagner elogiou o desempenho de Otto como secretário da Infraestrutura e em outro vídeo parabenizou o companheiro, definido como “grande baiano e brasileiro que muito tem contribuído para melhorar a vida de todos nós aqui na Bahia”.

 Próxima Página >