Salvador, 23 de julho de 2014

Metrô fora da lei é política e incúria

Data: 22/07/2014
09:56:46

Renomado site desta capital denuncia a inexistência de licença de funcionamento das quatro estações do metrô em atividade – Acesso Norte, Brotas, Campo da Pólvora e Lapa –, prova concreta de que entre nossos governantes prevalecem o interesse político e a incúria com a sorte da população.

A concessão do documento e a fiscalização das normas cabem à Prefeitura de Salvador, que, no entanto, abriu mão desse dever, ainda no tempo da lua de mel entre o prefeito ACM Neto e o governador Jaques Wagner. O governo do Estado, apressado para a “inauguração”, não se preocupou com tão essencial exigência.

São muitos os problemas constatados nas estações pela Sucom, órgão da Prefeitura encarregado das emissão dos alvarás, inclusive relativos à segurança dos usuários, embora “fontes municipais” citadas pelo site afirmem não há risco.

Do ponto de vista político, o fato cheira a vazamento em causa própria, pois, caso o metrô não seja interditado em nome da vida e da integridade física dos passageiros, ficará demonstrada a boa vontade do prefeito com o governo do Estado, quando a recíproca não tem sido exatamente essa.

BLAGUE NO BLOG - Protesto precoce

Data: 22/07/2014
09:55:12

O marketing da presidente Dilma Rousseff precisa urgentemente bolar uma estratégia direcionada à faixa etária de 6 a 7 anos, da maioria dos estudantes do Colégio Antônio Vieira que visitaram quinta-feira o Museu Eugênio Teixeira Leal, no Pelourinho.

Depois de conhecer moedas, condecorações e documentos próprios do acervo do museu, depararam com um foto de Dilma, que não hesitaram em vaiar. Não se sabe onde assimilaram tal comportamento, mas até de “bruxa” a presidente foi chamada.

As professoras entraram em desespero com tanta espontaneidade. “Calma, vamos respeitar, não é assim que se faz”, repetiam, na vã tentativa de calar os manifestantes.

A pedido

Data: 22/07/2014
09:52:46

Mais uma de João Ubaldo Ribeiro sobre a campanha do então governador Antonio Carlos Magalhães na década de 70 para melhoria da qualidade do pão em Salvador:

“Seu Pepe, a Bíblia diz que o senhor deve ganhar o pão com o suor do seu rosto...” E como o espanhol estranhasse a observação, o ACM de Ubaldo arrematava: “É, mas o senhor está fazendo o pão com o suor do seu rosto”.

O homem que veio do céu

Data: 22/07/2014
09:51:34

Em muitos municípios do interior da Bahia, quando um avião sobrevoa dando pinta de que vai aterrissar, os cabos eleitorais ficam aflitos, procurando adivinhar quem está chegando.

A maioria dos palpites, a depender da região, envolve o deputado Ronaldo Carletto, o ex-prefeito João Gualberto, o deputado João Bacelar, o deputado Lúcio Vieira Lima e o ex-deputado Benito Gama.

Bancada do PT corre risco de redução

Data: 22/07/2014
09:50:27

Há grande preocupação nas hostes do PT, que cometeu, na visão de analistas da matemática eleitoral, um erro grave ao indicar 54 candidatos a deputado estadual, o que poderá determinar uma redução drástica da bancada, hoje com 15 integrantes, já incluídos Carlos Brasileiro e Joacy Dourado.

“Saiu quem quis, e o resultado é que muitos candidatos de cinco mil votos vão apenas contribuir para o chapão da coligação e ajudar a eleger os outros”, disse fonte governista, entendendo que a maioria dos postulantes deveria apoiar concorrentes em melhores condições para conquistar mais cadeiras.

PSD vem com treze "bons de briga"

Data: 22/07/2014
09:49:02

Um exemplo da estratégia predominante em outras legendas é o PSD, que terá apenas 13 candidatos: os oito atuais detentores de mandato e cinco novos com grande potencial. “Todo mundo vai brigar nas cabeças”, disse o deputado Angelo Coronel, que coordenou a elaboração da lista.

Os novatos são o vice-prefeito de São Sebastião, Breno Konrad, o ex-deputado Clóvis Ferraz, o ex-prefeito Robério Oliveira, de Eunápolis, e os vereadores de Lauro de Freitas Gilmar Oliveira, presidente da Câmara, e Mirela Macedo.

Como se não bastasse

Data: 22/07/2014
09:48:05

Na coligação governista para a Assembleia Legislativa, é crescente o mal-estar com atitude atribuída ao candidato ao Senado Otto Alencar (PSD), que estaria atuando com firmeza ao telefone para pedir votos exclusivamente para os companheiros de partido.

Desinteresse

Data: 22/07/2014
09:47:11

Candidato a deputado federal pelo PSL, Adilson Silva, que por muitos anos trabalhou como assessor de prefeitos e parlamentares, estima que, no eleitorado baiano de 10 milhões de pessoas, apenas seis milhões de votos serão efetivamente dados a candidatos ou legendas, com o restante se perdendo nas abstenções, votos nulos e em branco.

“Tenho andado por essa Bahia toda, já passei por mais de 300 municípios, e o que vejo é um desinteresse total pela campanha. Isso não deveria estar acontecendo a dois meses e meio da eleição, mas é que as redes sociais e o noticiário de TV estão cada vez mais negativos para os políticos”, afirmou.

Tadeu conta com mandado para manter mandato

Data: 21/07/2014
12:11:54

Quando tudo prenunciava tranquilidade na Assembleia Legislativa na reta final do recesso, a perda do mandato do deputado Capitão Tadeu (PSB) promete uma semana das mais movimentadas.

Com a determinação de seu afastamento do mandato para posse do suplente Joacy Dourado (PT), prevista para hoje, ele aguarda que o ministro plantonista do TSE, Gilmar Mendes, julgue mandado de segurança que poderá reverter a ação eleitoral em tramitação em Brasília, garantindo-lhe a permanência na Casa.

Candidato em 2010 pela coligação PSB-PSL, Tadeu viu seu mandato em risco com a anulação de cerca de 13 mil votos dados ao candidato Wank Medrado (PSL), num processo ao qual se interpôs embargo de declaração com uma procuração em que foi falsificada a assinatura de Wank.

Agora, a ministra Luciana Lóssio decidiu pela invalidação dos votos, desconhecendo a denúncia de falsificação que foi apensada ao processo, após a Polícia Federal ter comprovado a fraude em perícia.

Ato da Assembleia é questionado no TJ

Data: 21/07/2014
12:09:46

Também no Tribunal de Justiça da Bahia, a advogada Cristiane Sandes, representando Tadeu, deu entrada em mandado de segurança contra a decisão da Assembleia Legislativa.

O parlamentar acusou o presidente Marcelo Nilo, com palavras tão duras que até o incluiu numa “quadrilha”, de ter atropelado a Constituição estadual para retirá-lo da cadeira como vingança por tê-lo denunciado ao Ministério Público por “atos ilegais”.

Nilo se defendeu, alegando que ia convocar a Mesa Diretora para tratar da questão, mas desistiu ao ouvir opinião de “juristas”, segundo os quais o caso não era de “cassação” porque Tadeu ocupava provisoriamente uma vaga que não era dele, perdendo-a quando os cálculos de votos foram refeitos.

O presidente disse ainda que, caso se confirme a acusação feita por Tadeu, de que ele e a ministra Lóssio fazem parte de uma quadrilha, irá processá-lo, o que não fez em situações anteriores "porque ele era deputado".

O caso é controverso, mesmo tendo o advogado Ademir Ismerim, reconhecida autoridade na área, dito que foi legalmente correto o ato que afasta Tadeu da Assembleia, assinado pelo vice-presidente Yulo Oiticica (PT), no exercício da presidência – Nilo se considerou impedido para fazê-lo.

Um aspecto é literal: o parágrafo 2º do inciso V do artigo 86 da Constituição determina que “a perda [de mandato] será declarada pela Mesa da Assembleia” nos casos decretados pela Justiça Eleitoral, ”assegurada ampla defesa”.

Como Tadeu, efetivamente, exercia um mandato e o perdeu, parece meridianamente claro que a Mesa deveria ter tomado a decisão após ouvir sua exposição de defesa, independentemente de outras alegações de caráter processual feitas pelo deputado com relação à decisão do TSE.

Minha vida com João Ubaldo Ribeiro

Data: 20/07/2014
16:19:58

“Lá, no assento etéreo onde” subiu, como disse em “Alma minha”, na segunda pessoa do singular, Luís de Camões – aliás, justo nome do justo prêmio por ele conquistado –, João Ubaldo Osório Pimentel Ribeiro sabe quanto lhe devo da realmente pequena noção que tenho da política e do jornalismo, essências, hoje, do meu ofício.

Conheci-o, literariamente, ainda adolescente, aos 16, na fase mais aguda do regime militar, lendo no extinto Jornal da Bahia a coluna de crônicas “Satyricon”. Assinava-se “J.U.Ribeiro”, e tão encantado fiquei que, naqueles tempos difíceis de acesso à informação, minha curiosidade primeira foi saber a que nomes correspondiam as iniciais.

Para quem veio de um princípio de militância duramente reprimido, no ano anterior de 1968, quando ocupamos, por nove gloriosos dias em junho, o Colégio Estadual Severino Vieira – único secundarista naquele período de tomada da UFBA contra o “acordo MEC-Usaid” – , aqueles eram textos que sobressaíam num período já de censura pesada, perseguição e mortes.

J.U.Ribeiro escrevia sobre as ditaduras militares da Bolívia, país que se caracterizava pela sucessão interminável de golpes de Estado. Ele o fazia, mas em diálogos sem introdução, sem maiores referências, como recomendava a época. “Renuncia!” – bradava um general ao presidente, que redarguia: “Não renuncio, o Judiciário me garante". E o milico: “Ah, é? E quem garante o Judiciário, chiquitito?” (LAG)

"ACM" queria proibir o porte do pão

Data: 20/07/2014
16:16:01

No começo da década de 70, já governador, Antonio Carlos Magalhães empreendeu uma “guerra” pela qualidade do pão em Salvador, impondo aos padeiros, na maioria galegos, contra os quais havia forte preconceito popular, obrigações quanto ao peso, preparo e outros aspectos, em inusitado marketing.

Ubaldo – tratemo-lo assim de agora em diante – produziu peças jornalísticas maravilhosas da mais descarada ironia, um certo risco, pois, mesmo não sendo citado nominalmente,  ACM poderia não gostar.

Como numa fictícia audiência com o secretário da Segurança. “Sabe, Joalbo, eu estou examinando esse pão aqui, muito duro, já pensou que manchete feia pra você: ‘agredido a pãozadas na Barros Reis morre a caminho do Pronto Socorro’. E como Joalbo titubeasse, o ACM da criação de Ubaldo encerrou o assunto: “Não tem mais nem menos, vamos baixar uma portaria regularizando o porte do pão!”

São memórias sem internet e sem arquivo, a não ser o mental. Poderia contar dezenas, como o caso do asfaltamento da Baía de Todos os Santos, numa época em que o então prefeito ACM vivia uma febre de pavimentação na capital. Ideias que, propagadas, ajudaram a orientar um jovem. (LAG)

Escritor, intelectual e trabalhador

Data: 20/07/2014
16:13:55

Apenas por coincidência, eu era vizinho de Antonio Carlos Marques Pinto, conhecido na juventude como Vieira, que se popularizou no país e no exterior pela dupla musical que formou com Jocáfi, de grande sucesso nos anos 70 e 80 e até hoje atuante.

Vieira, machista como era natural naquela época e talvez ainda atualmente, uns seis anos mais velho, dizia: ”Andando comigo você vai ser homem”. E eu gostei, porque me levava em todas as barcas, para a Boate de Ondina, para o Canecão baiano, para as casas dos artistas locais, para a TV Itapoan, numa evidente corrupção de menor.

Nessa patota, que tinha, entre outras figuras ilustres, Maria Creuza, Carlos Lacerda e Luís Berimbau, pontificava Ildásio Tavares, intelectual brilhante que há pouco nos deixou. E foi Ildásio quem me presenteou com uma espécie de cordel de sua autoria, toscamente impresso, chamado “ABC da Bahia”.

Na pequena obra de que tanto se orgulhava, a ponto de distribuí-la, homenageava com estrofes de seis versos, de A a Z, as expressões que via nas artes da Bahia, a partir, naturalmente, de Jorge Amado: “Amado se chama Jorge/ e começa este ABC...”  A letra U tinha dono: “Ubaldo, Osório, Ribeiro,/ Pimentel, sei lá, João/ Com tantos nomes, ligeiro/ se faz logo uma confusão/ professor e literato/ vate da administração”.

Foi aí que fiquei sabendo que, além de mágico das palavras e pessoa que nos fazia rir e aprender, Ubaldo era gente comum, que entendia de gestão e ao mesmo tempo era capaz de ensinar literatura americana nos Estados Unidos. Além de, puxando mais para a nossa área de comunicação, atuar numa área de então fascinante desabrochar – a publicidade. (LAG)

Uma contribuição para jovens calouros

Data: 20/07/2014
16:11:19

No curso de Jornalismo da Escola de Comunicação da UFBA, participava de uma equipe encarregada de levar à IV Semana de Estudos de Jornalismo, em maio de 1972, na USP, o que chamávamos presunçosamente de “tese”, mas que era um trabalho de estudantes universitários sobre o mercado de trabalho para a profissão.

Ocorreu-nos a ideia, fãs ardorosos que dele éramos no grupo de alunos, de, como ilustres desconhecidos, procurar Ubaldo na Unigrafe, sua agência, na Cardeal da Silva, para pedir-lhe uma visão da questão a ser incorporada ao calhamaço. Ele entregou uma lauda e meia, devidamente assinada, que nos coube titular: “Uma opinião à parte”.

Alguns anos depois, quando já convivíamos profissionalmente na Redação da Tribuna da Bahia, procurei lembrar-lhe desse episódio, ao que ele esbugalhou os olhos, o que é uma óbvia redundância, e tonitruou: “Eu tratei vocês bem, não foi? Porque eu fico preocupado, às vezes eu posso não ter tratado bem”. (LAG).

Momento histórico: a obra-prima revelada

Data: 20/07/2014
16:08:58

Foi nesta época – por volta de 1976 – que tivemos contato direto, e uma iniciativa de Ubaldo, como editor-chefe, representa um dos motivos pelos quais estou obrigado a registrar a contribuição que esse gênio deu à minha formação, que não é grande coisa, mas dá pra ir levando, ou empurrando, no dizer dos mais precatados.

Indiferente ao medo que se alastrava e nos afligia, em pleno governo do general Ernesto Geisel, que não era, como se sabe, essa bondade toda da “distensão lenta, gradual e segura” do regime militar, ele instituiu, preparou e ministrou a repórteres, editores, fotógrafos e quem mais quisesse um curso intitulado “O pulo do gato”.

Num panorama de obscuridade democrática, de temerária resistência, Ubaldo falava claramente de um assunto proibido: política. Não no sentido eleitoral do termo, mas da necessidade de preservá-la como arma da sociedade para a liberdade e o progresso – e nisso o papel que tínhamos como jornalistas.

Desse tempo, um fato particularmente me deixa até hoje surpreso quando o recordo. É que Ubaldo costumava dizer que começava suas obras pelo título, era uma mania que ele tinha. E um dia, na porta de acesso à Redação da TB, junto a um antigo bebedouro, ele me disse: “Estou pensando em escrever um livro que vai se chamar ‘Viva o povo brasileiro’”. (LAG)

"Post scriptum"

Data: 20/07/2014
16:06:57

O título da primeira desta série de matérias – "Minha vida com João Ubaldo Ribeiro" – é apenas uma brincadeira pela qual, com seu espírito, esse meu ídolo perdoará. (LAG)

Wagner persegue e Neto arrocha

Data: 19/07/2014
10:55:41

Um fenômeno se nota entre as principais autoridades políticas do Estado a menos de três meses das eleições: o governador Jaques Wagner se entrega à intensa perseguição ao prefeito ACM Neto, que, por sua vez, faz valer cada vez mais o hipotético slogan de gestão “tudo pelo financeiro”.

É espantoso que ambos assumam atitudes antipopulares quando dentro em breve estarão – se não já estão – pedindo votos para seus candidatos ao governo, respectivamente Rui Costa e Paulo Souto. Talvez entendam que “uma coisa anule a outra” e assim estejam empatados para enfrentar as urnas.

Neto saltou o obstáculo do IPTU, pois, apesar da “judicialização” vinda de cima, as camadas populares e médias acataram bem a majoração, certamente conformadas por melhorias evidentes executadas na cidade.

Mas abre os flancos na excessiva voracidade arrecadatória, como na cobrança de foro por uso de terras públicas e na anunciada “radarização” de ruas e avenidas, e não foi à toa que o candidato Rui Costa e mesmo seu ex-adversário Nelson Pelegrino voltaram as baterias para esse aspecto da administração municipal.

Quanto a Wagner, surpreende o comportamento, não porque se deva acreditar na sinceridade do republicanismo que propaga, mas porque, ladino nas mutretas da política, perde eleitoralmente ao se valer de métodos que, pessoalmente, ajudou a erradicar da Bahia.

Contra o feiticeiro

Data: 19/07/2014
10:52:55

O prefeito Neto deveria aplicar nesta campanha a tese do “alinhamento” e defender o voto em Paulo Souto como garantia de recursos do Estado para Salvador.

Contestada demolição de restaurantes

Data: 19/07/2014
10:51:25

Leitor deste blog que pede reserva do nome protesta contra a “arbitrariedade” do prefeito ACM Neto com a tentativa, por enquanto frustrada pela Justiça, de demolir os restaurantes Jangada e Língua de Prata, na orla marítima da Avenida Otávio Mangabeira.

“O prefeito deveria se preocupar em revitalizar as ruas, pois graças a esses restaurantes Itapuã tem sobrevida, com a frequência de trabalhadores e trabalhadoras do lar, da informalidade, autônomos da construção civil, comerciários e tantas profissões ignoradas aos olhos da sociedade”, diz.

Recordando o slogan da campanha de Neto, algo como “defender Salvador”, o leitor vê “intenção de prejudicar as fontes de lazer dos humildes”, supondo que há “interesses escusos” por trás da operação.

É lamentada ainda a falta de diálogo que poderia levar a soluções como “a construção de espaços dentro do novo projeto urbanístico”, com a busca de patrocínios que viabilizassem o funcionamento dos estabelecimentos, que são “patrimônio imaterial do arrocha” e palco de lançamento de grandes artistas.

Lanterna atrevido

Data: 19/07/2014
10:49:34

Rui Costa inova ao recusar-se a participar de debate sobre segurança pública no meio universitário. Essa postura, geralmente, é de candidato que está muito à frente nas pesquisas.

Chupa essa manga, torcida tricolor

Data: 19/07/2014
10:48:34

Mesmo os leitores de páginas esportivas, geralmente mais propensos a crenças e reações emocionais, merecem respeito da imprensa, mas A Tarde parece não considerar assim, tanto que, na sua edição de hoje, apresenta “cinco motivos para acreditar” numa vitória do Bahia à noite em Belo Horizonte, contra o Atlético.

Três são hilariantes: é o décimo primeiro jogo neste campeonato, e no décimo primeiro do ano passado o time venceu o Flamengo por 3 a 0; também em 2013, jogando na capital mineira, venceu o Cruzeiro por 2 a 1; e os únicos resultados positivos alcançados este ano foram contra alvinegros de camisas listradas, como o adversário de hoje.

É ainda apontado o melhor aproveitamento do Bahia nas partidas fora do Estado, mas o que pode mesmo levar sua imensa e sofrida torcida a ter um pouco de esperança é um dado objetivo: priorizando uma competição continental que disputa, o Atlético mandará a campo uma equipe quase totalmente de reservas.

Projetando-se esse jornalismo de oba-oba para a dimensão nacional, entende-se o clima de sonho e salto alto que viveu, nos últimos tempos, a Seleção Brasileira, aquela cheia de craques cuja glória a imprensa antecipou, aquela que estava “com a mão na taça”, aquela que tinha “a obrigação de ganhar”.

Pressão contra Herzem

Data: 19/07/2014
10:45:57

É grande a pressão, partindo de altos círculos governamentais, para que a Justiça impeça a candidatura do radialista Herzem Gusmão (PMDB) à Assembleia Legislativa, porque sua eleição, praticamente certa, influenciaria profundamente a política em Vitória da Conquista.

Herzem teve sua impugnação recomendada pela Procuradoria Regional Eleitoral sob a acusação de propaganda antecipada. Se concorrer, tem tudo para ser o deputado mais votado em Conquista, o que seria um passo importante para conquistar a Prefeitura em 2016.

Projeto Solla

Data: 19/07/2014
10:44:52

Em 2012, Herzem levou o pleito para o segundo turno, sendo derrotado pelo prefeito Guilherme Menezes, que não poderá candidatar-se novamente por estar no segundo mandato.

A informação na cidade é de que o nome de Menezes para enfrentá-lo será o ex-secretário Jorge Solla, que este ano disputa uma cadeira na Câmara dos Deputados pelo PT.

Aos céus sem penitência

Data: 19/07/2014
10:43:46

Folclórico nas suas alocuções eleitorais, o candidato a vice-governador João Leão prometeu que no governo de Rui Costa será colocada uma escada rolante para levar os peregrinos ao santuário de Bom Jesus da Lapa, que fica num morro com 90 metros de altura.

Já pensam em inscrever-se na futura licitação a Atlas Schindler, ThyssenKrupp e Villares.

"Terra de ninguém"

Data: 19/07/2014
10:42:33

A deputada Fátima Nunes (PT) disse que, até agora, “ninguém sabe” como está a investigação do assassinato do médico José Carlos de Carvalho, o Dr. Zé Carlos, que disputou em 2012, pelo PT, a Prefeitura de Paripiranga, no nordeste do Estado.

“A apuração está sendo feita de forma silenciosa, mas nós confiamos na inteligência da polícia para revelar tudo o que aconteceu”, disse Fátima, ressaltando que “a região virou terra de ninguém e precisa da punição dos culpados” pelo crime, ocorrido em 2 de maio.

Área política espera pesquisa legal sobre eleições

Data: 17/07/2014
10:22:36

Circulou na Assembleia Legislativa a informação de que o instituto Vox Populi, que tradicionalmente faz pesquisas eleitorais para o PT, deu entrada no TRE de registro de pesquisa para governador e senador no Estado da Bahia, a ser divulgada nos próximos dias.

A pesquisa teria sido programada com uma dose de indução, como a colocação prévia dos vínculos políticos dos candidatos com seus “padrinhos”. Por exemplo, “você votaria num candidato apoiado por Dilma, Lula e Wagner?” e “você votaria num candidato apoiado por ACM Neto?”

Somente depois desse preâmbulo é que se passaria à aferição pelos nomes, tanto da forma espontânea como com a apresentação de todos os competidores ao eleitor, não se sabendo se a fórmula poderia, de alguma forma, mascarar ou distorcer a vontade popular.

Simultaneamente, um parlamentar governista que nestes anos de relacionamento vem fazendo, reservadamente, avaliações realistas do quadro político disse a este blog que o candidato Rui Costa (PT) “tem melhorado muito” sua posição no interior.

Por coincidência, quarta-feira, o TRE aplicou ao governador Jaques Wagner multa de R$ 53 mil por ter apresentado em entrevista de rádio dados de uma suposta pesquisa sobre os quais fez comentários que favoreceriam Rui Costa.

Com nova pesquisa na boca do forno, cujo registro deve indicar, necessariamente, a metodologia empregada, o meio político aguarda os números com ansiedade para saber se o governador poderá manipulá-los, desta vez de forma legal.

Torcida contra

Data: 17/07/2014
10:19:40

Concorrentes esfregam as mãos para que vá em frente a impugnação apresentada pela Procuradoria Geral Eleitoral contra os ex-prefeitos Carlos Robson Robinho (PP), de Nova Viçosa, e Luciano Ribeiro (DEM), de Caculé.

Com eleição praticamente assegurada, os dois enfrentam agora, na caminhada rumo à Assembleia Legislativa, o risco de enquadramento na Lei da Ficha Limpa por rejeição de contas no Tribunal de Contas dos Municípios.

Entre as dezenas de nomes listados pela PGE, a imprensa não os destacou, preferindo aqueles de carreiras políticas mais notórias – embora não notáveis –, alguns representando uma surpresa, outros, nem tanto.

Ex-reitor é candidato

Data: 17/07/2014
10:18:21

A “literatura” eleitoral registra “nomes de urna”, como se diz, em que o candidato procura vincular-se diretamente à atividade que exerce para melhor identificar-se perante o eleitor.

Assim, é comum vermos por aí pedindo votos o “João do Gás”, o “Chico da Água”, o "Neco do Açougue”. Nada de mais, portanto, que um ex-reitor da UCSal se apresente como “José Carlos Reitor”.

A lamentar, apenas, que tão magnífica função tenha descido tantos patamares na escala de conceito da sociedade, a ponto de hoje os reitores temerem não ser, como fruto de seu trabalho, reconhecidos pela identidade civil.

Bairros proibidos

Data: 17/07/2014
10:17:02

O efeito retardado das greves de policiais e professores em 2012 ainda vai causar muito transtorno, e não apenas ao governo, como se poderia imaginar, mas à classe política em geral.

Lideranças dessas duas categorias garantem que há bairros em Salvador onde candidatos que aparecerem em busca de votos serão recebidos com hostilidade, a exemplo Calafate, Bom Juá, Inferninho e Mussurunga.

“Até na Liberdade tem algumas ruas onde político não entra”, disse um policial, ressaltando que a maioria reside em lugares pobres da cidade. “Estamos preparando faixas contra deputado ‘copa do mundo’, que só vem de quatro em quatro anos. Ninguém aguenta mais oba-oba”.

Dobradinha em Jaguaquara

Data: 17/07/2014
10:15:39

Candidato a deputado federal com o apoio do prefeito de Jaguaquara, Juliano Martinelli (PP), o deputado Cacá Leão (PP) fará dobradinha no município com seu correligionário Aderbal Caldas, que busca a reeleição à Assembleia Legislativa. A dupla contará ainda com nove dos 15 vereadores.

 Próxima Página >