Salvador, 27 de janeiro de 2015

Rui quer na Cerb um técnico e gestor

Data: 26/01/2015
20:30:12

Tendo perdido o Detran para o PTN, novo aliado do governo, o deputado federal eleito Ronaldo Carletto (PP) ganhou em contrapartida a Cerb, cujo nome por extenso – Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos – dá bem uma ideia do maná eleitoral que representa.

Atuando em todo o semiárido baiano, cerca de dois terços do Estado, a empresa pública cuida de projetos e obras nas áreas de abastecimento, irrigação e saneamento, contando para isso com mais de 700 empregados distribuídos em dez núcleos regionais.

O problema é que Carletto ainda não conseguiu preencher o cargo. Apresentou o nome de um administrador, com o beneplácito da bancada, mas o governador Rui Costa entendeu que o indicado não tinha o perfil adequado.

Rui quer um especialista, um engenheiro ambientalista ou sanitarista de reconhecida competência e que tenha também experiência de gestão. Diz-se no meio político que o vice João Leão está de olho no cargo. “Todo o Estado está de olho”, confidenciou fonte deste blog.

Emplacamento demorado

Data: 26/01/2015
20:28:21

O senador eleito Otto Alencar está entre os top five da política baiana, ao lado do governador Rui Costa, do vice João Leão, do ministro da Defesa, Jaques Wagner, e do presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo.

Mas tal condição não teve ainda o poder de desemperrar a nomeação para a Bahiafarma do ouvidor da Agerba, Jorge Nascimento. Trata-se de indicação do deputado Alan Sanches, líder do PSD, já referendada por Otto junto ao secretário Josias Gomes.

Mandatinho sofrido

Data: 26/01/2015
20:27:17

Talvez em futuro próximo venha a ser necessário que o governador Rui Costa nomeie para o secretariado outro deputado estadual de sua coligação, como forma de manter no mandato o deputado Bira Corôa (PT), o que parece ser uma decisão política prioritária.

Tudo vai depender de como se posicionar o TSE sobre o registro da candidatura do ex-prefeito de Maragogipe Sílvio Ataliba (PT), que concorreu sub judice à Assembleia Legislativa e teve cerca de 19 mil votos.

Caso venham a ser anulados, a coligação governista perderia para o oposicionista Herzem Gusmão (PMDB) a cadeira hoje ocupada pelo deputado Marcelino Galo (PT), que, no entanto, ficaria na vaga do secretário Paulo Câmera, retornando Bira à suplência.

Ataliba sofreu processo de inelegibilidade por ter tido suas contas de 2011 recusadas pela Câmara Municipal. No entanto, venceu a questão no TRE, e agora se aguarda somente o desfecho da questão em Brasília, que deve demorar, segundo a tradição brasileira.

Política da saúde

Data: 26/01/2015
20:25:56

Mesa de almoço na Assembleia Legislativa reuniu hoje, entre outros, os deputados eleitos Alex Lima e Alan Castro, que vão compor a bancada do PTN com o deputado Carlos Geilson, que não estava lá.

Brincou-se sobre a duplicidade de nomes não tão comuns entre os deputados da legislatura que começa domingo: Alan Sanches e Alan Castro, Alex Lima e Alex da Piatã, Adolfo Viana e Adolfo Menezes.

O chiste foi adiante quando se indagou a Alan Castro, que, como o xará, é médico, sobre a marca que imprimirá a seu mandato. Um interlocutor antecipou-se: “É o estetoscópio numa mão e o santinho na outra”.

Fim da homonímia

Data: 26/01/2015
20:23:40

Para não sair do tema, o deputado federal eleito João Carlos Bacelar Batista (PTN) entendeu-se com o primo deputado federal João Carlos Paolillo Bacelar, cujo nome parlamentar sempre foi João Carlos Bacelar. Em Brasília, o novato será apenas deputado Bacelar.

Almoçando com o inimigo

Data: 26/01/2015
20:22:55

O dia estava para deleite. Ao ver o deputado Adolfo Menezes (PSD) numa mesa com Sandro Régis (DEM) e Adolfo Viana (PSDB), o deputado Euclides Fernandes (PDT) anunciou: “Vou dizer a Rui Costa com quem você está andando”.

Menezes entrou no clima: “Pois fique sabendo que meus melhores amigos estão na oposição”.

Firme como Zé Rocha

Data: 26/01/2015
20:22:09

Sobre rumores que dão como certa sua ida para o futuro PL, caso este partido seja mesmo fundado, o deputado Reinaldo Braga afirma: “Ouvi, mas não tenho motivo nenhum para sair do PR”. O que pode ser verdade.

Edital explosivo

Data: 26/01/2015
20:21:15

A militância do PDT, que reúne todos os movimentos de base da legenda, tem reunião às 19 horas de amanhã, na sede da Mouraria.

A pauta inclui uma discussão sobre o processo sucessório interno, em convenção a ser realizada até junho, e o que ocorrer.

Comenta-se que, tendo em vista as últimas reuniões do partido, com bate-boca e ameaça de briga, a maior expectativa está voltada para “o que ocorrer”.

PT decide na véspera posição sobre Assembleia

Data: 25/01/2015
13:26:50

A bancada do PT na Assembleia Legislativa mantém a candidatura do líder Rosemberg Pinto à presidência da Casa e, além da movimentação que vem fazendo nos bastidores, deverá reunir-se num almoço em 1º de fevereiro, domingo próximo, para anunciar uma posição exatamente na véspera da eleição.

A informação foi dada a Por Escrito pela deputada Fátima Nunes, que, com os colegas, está “buscando mais eleitores para somar aos 11 do PT que Rosemberg já tem”. Citando no atual presidente, Marcelo Nilo (PDT), a condição de “importante parceiro”, contra o qual “não há nada de pessoal”, Fátima pondera:

“O bom seria o presidente entender e dar uma repensada, não ficar apenas falando que tem 50 assinaturas. Nós estamos convidando ele a uma reflexão, para que ele veja que o poder não pode ser eterno”.

Há duas alternativas: a manutenção da candidatura ou a desistência para uma composição que garanta ao partido lugar na Mesa Diretora. Mas a deputada Fátima confirma que um recurso à Justiça não está descartado: “Dois deputados estão estudando a legislação para ver se há brechas para a viabilidade de uma ação judicial”.

Nilo: do reino vegetal ao mineral

Data: 25/01/2015
13:25:09

Num momento da conversa, Fátima disse que o deputado Marcelo Nilo, na cadeira presidencial, está “parecendo um mandacaru”.

A afirmação provocou certa estranheza, porque desse cacto espinhoso nativo do semiárido se diz que ”não dá sombra nem encosto”, o que não corresponde à difundida solicitude de Nilo no atendimento aos pleitos dos colegas.

Fátima Nunes explicou: “Não, eu estou falando é da perenidade do mandacaru. O bicho é resistente. Minha mãe chamava gente assim de pedra de serra”.

Confirmação

Data: 25/01/2015
13:22:57

A terceira via terminou no terceiro escalão.

Boa romaria faz...

Data: 25/01/2015
13:22:22

Na antiga e popular maneira de dizer as coisas, pode-se afirmar que o prefeito ACM Neto não perdeu nada no PDT para querer entrar no partido.

Destoa totalmente de sua origem e não combina com a posição da legenda no cenário nacional, o que leva a crer na falsidade das especulações em curso.

O único traço de união entre Neto e o PDT é o deputado Félix Mendonça Júnior, presidente regional, insuficiente para dar liga.

Na hipótese remota – pois afinal tudo é possível – de ele vir a alistar-se no que foram no passado as hostes brizolistas, só se todo mundo saísse de lá.

A próxima eleição que disputará, majoritária, de âmbito municipal, em 2016, não exige que ele esteja numa sigla mais forte ou mais simpática.

Caso o prefeito tenha como projeto, a média distância, deixar o DEM, dispõe de opções para refletir, assim mesmo limitado pelo fato de que um pretenso líder não pode ficar pulando de galho em galho.

Pro Guiness

Data: 25/01/2015
13:20:09

Cabe ao PDT baiano, aliás, uma posição seguramente inédita: o partido não está na base do governo, mas toda a sua bancada de cinco deputados apoia o governador Rui Costa na Assembleia Legislativa.

Depois de Ademar, Rui recebe Caetano

Data: 24/01/2015
08:34:45

A deputada Luiza Maia destacou o caráter cordial da reunião que ela e o marido, deputado federal eleito Luiz Caetano, tiveram na noite de ontem com o governador Rui Costa, em mais um movimento envolvendo o conflito interno do PT em Camaçari.

O encontro vem num momento em que Rui dá evidentes sinais de prestígio ao prefeito Ademar Delgado, o primeiro a ser recebido por ele, alguns dias depois de Caetano ter rompido com o antigo aliado.

Por último, a nomeação de mais um deputado estadual da coligação governista para o secretariado permite a permanência na Assembleia Legislativa do deputado Bira Corôa, que, no racha, declarou apoio a Ademar.

O curioso é que os critérios de Rui no presente caso não foram eleitorais, porque Camaçari, quarto colégio eleitoral da Bahia, foi um dos 39 municípios onde o governador teve menos votos que seu adversário Paulo Souto.

Deputado eleito elogia início de gestão

Data: 24/01/2015
08:33:16

Entre os temas discutidos estiveram a implantação dos campi da UFBa em Camaçari e Irecê, demandas políticas do Oeste baiano e do Recôncavo, a exemplo das demissões no polo naval de Maragogipe, e o apoio à candidatura de Arlindo Chinaglia (PT) à presidência da Câmara dos Deputados.

“Tivemos uma conversa produtiva, afinada e, acima de tudo, propositiva. O governador está fazendo um início de gestão firme, mostrando capacidade política e compreensão plena das necessidades do Estado”, avaliou Caetano.

A deputada Luiza Maia reivindicou maior apoio às políticas públicas voltadas para as mulheres. “É importante garantirmos um orçamento maior para a execução das políticas de gênero”, disse a parlamentar.

BLAGUE NO BLOG - Direito de imagem

Data: 24/01/2015
08:31:50

Pode parecer brincadeira, absurdo ou que nome se queira dar, mas houve um longo tempo no Brasil em que o cafezinho era tabelado. De vez em quando, a extinta Sunab baixava portaria dizendo quantos centavos custaria a consumida infusão, e assim era necessário que a imprensa noticiasse.

A Tribuna da Bahia, para ilustrar a matéria, geralmente publicava a mesma foto, do espanhol Pepe, dono do bar em frente, encostado, sonolento, na máquina de café Monarcha, aquela niquelada que mais parecia um castelo cheio de torneiras, colocada sobre o balcão.

A cada aumento do cafezinho, lá estava Pepe, com a cabeça pendente e os olhos semicerrados, de quem já passou da hora de fechar o estabelecimento. Até que um dia não aguentou: atravessou a rua e foi à Redação pedir ao secretário Chico Ribeiro Neto que, por favor, tirasse aquela foto do arquivo.

Primeiro sinal

Data: 24/01/2015
08:29:14

O deputado Carlos Geilson não compareceu à posse de Maurício Bacelar na direção do Detran. A bancada do PTN foi representada pelos novatos Alan Castro e Alex Lima.

Política eólica em Camaçari: ao sabor do vento

Data: 23/01/2015
17:01:15

O DEM terá o vereador Elinaldo concorrendo à Prefeitura de Camaçari, o deputado federal eleito Luiz Caetano (PT) atropela por fora com mais que provável candidatura, Maurício Bacelar (PTN) está na raia e, imagina-se, o prefeito Ademar (PT) vai tentar a reeleição.

É um quadro da mais elevada estesia política: Ademar disputou em 2012 com o completo e incontornável apoio de Caetano, contra o eleitoralmente Maurício de Tude, civilmente Maurício Bacelar, que era aliado de Elinaldo.

A questão do sobrenome é lembrada porque, em primeiro lugar, sob o comando do grande líder do PTN na Bahia, deputado João Carlos Bacelar, irmão de Maurício, o partido saiu da base do prefeito ACM Neto e atrelou-se ao governador Rui Costa. Por extensão, tende a alinhar-se ao aliado de Rui, que é Ademar.

Numa visão mais ao longe, não são conhecidas, ao menos para os mais alheios, as ideias e pretensões do ex-prefeito e ex-deputado José Tude (PTN), candidato mais que vitorioso no último pleito, mas que, lamentavelmente, não pôde concorrer por falha que o deixou inelegível.

Caetano e Ademar têm uma disputa partidária a resolver, sendo, por enquanto, incerto o que poderá vir de uma medição interna de forças. Diz-se que Caetano controla o partido, mas o prefeito, além da própria máquina, conta com a do governador para ajudá-lo na pedregosa caminhada.

Mago e pensador, Josias cuidará de Ademar

Data: 23/01/2015
16:58:36

O quadro não é diferente do outro lado, e aí vem de novo a questão do sobrenome: o Tude original e o Tude sobressalente são do PTN, o que exclui um deles. A dúvida é se comporão irmãmente, como no passado, ou se sairão por partidos diferentes, o que obrigaria Maurício Bacelar a usar o nome de batismo.

O dado realista da equação é que, considerando os números equilibrados da última eleição em Camaçari, na qual o então caetanista Ademar teve 49% e seu adversário Maurício, 43%, uma aliança entre eles parece imbatível.

Essa aritmética não é tão simples, mas, por coincidência, o pensador Josias Gomes, escudeiro do governador, disse há poucos dias que, em política, dois mais dois não são quatro. Cabe-lhe tomar conta dessa calculadora para fazer a soma a seu modo – aí já com os poderes de mago.

Câmera pode assumir Agricultura

Data: 22/01/2015
09:23:57

Tudo indica que o deputado Paulo Câmera (PDT) será o novo secretário da Agricultura, substituindo Fernanda Mendonça, que deixará o cargo depois que o governador Rui Costa não aceitou a convivência do partido com o governo do prefeito ACM Neto. A secretária é prima do presidente regional do PDT, deputado Félix Mendonça Júnior, que a indicou.

A nomeação de Câmara atenderia a um importante objetivo do governador: fazer permanecer na Assembleia Legislativa o deputado Bira Corôa (PT), como forma de reforçar, em Camaçari, o prefeito Ademar Delgado na luta contra o ex-prefeito Luiz Caetano, ambos petistas.

O PT preferia na Secretaria da Agricultura o deputado Joseildo Ramos, que é da área, mas, com o anúncio, pelo secretário de Relações Institucionais, Josias Gomes, de que o cargo ficaria com o PDT, cresceu a cotação de Câmera, que foi secretário também no governo Wagner.

Pensamento do dia

Data: 22/01/2015
09:12:10

Tecnologia de ponta quem tinha era Mané Garrincha.

Complacência sugere que nada muda no PDT

Data: 22/01/2015
09:11:03

Apesar da situação extrema a que chegaram, a um passo do confronto físico, os deputados Félix Mendonça Júnior e Marcelo Nilo deverão permanecer no PDT, porque o partido, com a vinda à Bahia do presidente nacional, Carlos Lupi, mostrou toda a sua complacência.

Uma providência burocrática foi tomada em relação à secretária Andréa Mendonça, afastando-a da direção da legenda para ter o “direito” de permanecer no governo do prefeito ACM Neto, enquanto os cinco deputados estaduais foram ao governador Rui Costa dizer que estão com ele.

É uma situação a se levar até certo ponto, pois tem alto potencial explosivo para alianças futuras da legenda ou já na Assembleia Legislativa, quando a fidelidade partidária poderá ser invocada para a votação de determinadas matérias.

Lupi, que não queria vir à Bahia, acabou passando rapidamente apenas para deixar a bomba-relógio armada. Entre o deputado federal que alçou à presidência do partido e os cinco estaduais, preferiu não perder nenhum, adiando a solução do problema.

Eleição duvidosa para a Executiva Regional

Data: 22/01/2015
09:09:36

“A briga entre Marcelo e Félix é fogo de palha, é a mesma coisa de Brust e Severiano”, assegurou a Por Escrito fonte de longa militância no PDT, referindo-se a dois dirigentes do partido, Alexandre Brust e Severiano Alves, que tiveram sério conflito no passado e “hoje são amigos novamente”.

A divergência, segundo se informa no meio político, começou porque “Félix não aceitava ficar sem a Embasa, até tirava a irmã [Andréa] da Prefeitura se conseguisse”. Agora restaria, para superar a questão, que os dois se enfrentassem pela presidência regional.

“O congresso do partido, em Porto Alegre, determinou, e a última reunião da Executiva Nacional confirmou: a Bahia tem de ter Executiva eleita. Lupi quer que isso seja feito até junho”, disse o militante, defendendo o voto de todos os filiados como critério básico.

Nos bastidores, no entanto, a visão é oposta. O bate-chapa será de difícil concretização, porque Lupi estaria fechado com Félix Jr., “tanto que os deputados não tiveram força para mudar a situação”.

Identidade

Data: 22/01/2015
09:07:45

A tendência netista do deputado Félix Jr. pode ser explicada pela identidade ideológica. O que não se entende é sua ligação tão forte com Carlos Lupi, que, afinal de contas, é herdeiro político direto de Leonel Brizola, fundador do PDT.

A propósito, vale dizer que Brizola, falecido em junho de 2004, havia rompido com o primeiro governo Lula três meses antes, e somente após sua morte é que o PDT voltou a apoiar Lula e, em seguida, a presidente Dilma.

PP também queria Embasa

Data: 22/01/2015
09:06:38

Apesar de ter sido contemplado com autarquias e empresas públicas do segundo escalão do governo estadual, o PP gostaria mesmo é de ficar com a Embasa, já que perdeu o Detran, que nos últimos anos teve a direção indicada pelo deputado federal eleito Ronaldo Carletto.

Fonte da legenda disse a este blog que o Detran e a Embasa “se equivalem em termos eleitorais", pois, além de terem arrecadação própria e muitos cargos, prestam serviços importantes em todo o território do Estado, “mesmo que seja um pequeno povoado”.

O Detran tem 30 Ciretrans e atua “com todo tipo de favor” nas operações de emissão de carteira, emplacamento e transferência. “A Embasa não precisa dizer, é água e saneamento”, afirmou, completando: “Ficamos sete anos no Detran, e quem perde o espaço sempre sai reclamando”.

Liderança

Data: 22/01/2015
09:05:05

Ainda sobre o PP: o deputado Luiz Augusto liderará a bancada em 2015, enquanto Aderbal Caldas irá para a Mesa Diretora.

Reiteração

Data: 22/01/2015
09:04:22

Os deputados do PDT baiano e a maioria Executiva estadual reafirmaram o apoio ao governador Rui Costa. “Todos ajudaram a eleger Rui, sempre integraram a base do governo na Assembleia e vão continuar o projeto republicano vitorioso nas últimas eleições”, disse fonte ligada aos parlamentares.

Imprensa política

Data: 22/01/2015
09:03:33

Por Escrito saúda a competente geração de repórteres políticos da Bahia, em que se destacam, com o perdão pelas omissões, Rafael Rodrigues, Luiz Fernando Lima, Fernando Duarte e Victor Pinto. Nas suas matérias, a melhor combinação entre texto e informação.

O país da eterna infidelidade partidária

Data: 21/01/2015
10:48:29

O líder do governo na Assembleia Legislativa, Zé Neto (PT), espera comandar uma bancada de “43 a 46 deputados, um pouco mais, um pouco menos”.

O cidadão comum, na sua utopia ou ignorância, imaginava que esse número estivesse definido desde a eleição, quando a população colocou uns no governo, outros na oposição.

Em alto e bom som, com toda naturalidade, o deputado sugere que há negociações ou situações em curso que poderão levar alguns parlamentares a subverter o resultado das urnas.

Não chega a ser surpresa essa manifestação, porque a fidelidade partidária no Brasil é uma mentira, mesmo com a interpretação que o TSE deu à legislação em 2007, criando a figura da “justa causa”, que permitiria ao parlamentar trocar de legenda.

São elas, como diz o artigo 1º da Resolução 22.610, incorporação ou fusão do partido, criação de novo partido, mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário e grave discriminação pessoal.

Os casos em que a traição é do partido

Data: 21/01/2015
10:46:37

Mais que brechas, as hipóteses são verdadeiros rombos, usados largamente pelos políticos funâmbulos para deixarem o partido sem perder o mandato, como agora novamente se articula, com a recriação da sigla PL.

Na sua originalidade, a infidelidade brasileira tem mão dupla: é o partido inteiro que passa da oposição para o governo. Assim fez recentemente o PTN, deixando a eventuais recalcitrantes o direito de desfiliar-se sem sanções.

Na legislatura que se encerra na Assembleia, houve os casos do PR e do PSC, que ao aderir ao governo possibilitaram a saída, credenciada pela Justiça, de parlamentares expressivos, a exemplo do que hoje ocupa a liderança da oposição, Elmar Nascimento (DEM).

 Próxima Página >