Capacidade de trabalho não seria atingida

Quanto aos médicos, embora a cura não tenha um prazo determinado, anunciaram uma quimioterapia de quatro meses, com sessões de quatro horas de três em três semanas, para combater os efeitos do "único nódulo" detectado no sistema linfático da paciente e retirado na cirurgia. Acrescentaram que ela passaria por "exames periódicos" após o tratamento, mas não -  em caso de cura, depreende-se - "pelo resto da vida", como sugeriu um repórter.

 

Luís Augusto Gomes - Por Escrito

http://www.porescrito.com.br