MOMENTO POÉTICO - Só no ebó

videotape, era "Só o Ôme".


De autoria de um certo Edenal Rodrigues e gravada por Noriel Vilela, de carreira profissional pregressa no grupo "Cantores de Ébano", a música falava de alguém com muitos erros e pecados na vida, dos quais só poderia redimir-se com a assistência do tal "Ôme".


Imagina-se que entre os protagonistas da política baiana não haja ninguém com o passivo existencial do indigitado, mas, a título de eventual colaboração em caso de necessidade, recordamos abaixo, respeitada a grafia original, os versos que grande faturamento devem ter propiciado ao compositor.


"Ah mô fio do jeito que suncê tá
Só o Ôme é que pode ti ajudá

 

Suncê compra um garrafa de marafo
Marafo que eu vai dizê o nome
Meia noite suncê na incruziada
Distampa a garrafa e chama o ôme
O galo vai cantá suncê escuta
Rêia tudo no chão que tá na hora
E se guáda noturno vem chegando
Suncê óia pa ele que ele vai andando

 

Ah mô fio do jeito que suncê tá
Só o Ôme é que pode ti ajudá

 

Eu estou ensinando isso a suncê
Mas suncê num tem sido muito bão
Tem sido mau fio mau marido
Inda puxa saco di patrão
Fez candonga di cumpanheiro seu
Ele botou feitiço em suncê
Agora só o Ôme à meia noite
É que seu caso pode resolvê".

Luís Augusto Gomes - Por Escrito

http://www.porescrito.com.br