Wagner pediu ''um tempo'' para o caso do PDT


Nos meios pedetistas, foi tomada como "missa encomendada" matéria publicada quinta-feira na imprensa dando conta de que Wagner não considerou aceitáveis os nomes indicados para a Secretaria da Indústria e Comércio. "Não foi levado nome nenhum", disse a fonte, criticando ainda o fato de ter sido atribuída a Lupi a ideia de incluir a presidência da Assembleia no espaço do partido.


Inicialmente propenso a acomodar a situação, o ministro teria se sensibilizado pela "unidade" que constatou no partido, coisa que "nunca tinha visto" na seção baiana. Informa-se que no diálogo que teve com o Lupi ao passar-lhe a responsabilidade da negociação, o presidente Alexandre Brust foi instado a "não esticar a corda", respondendo que não poderia fazê-lo sozinho. "Tem alguém do outro lado puxando também", teria dito.

Luís Augusto Gomes - Por Escrito

http://www.porescrito.com.br