A valentia municipal na periferia

Fechar um estabelecimento daqueles “por falta de alvará” significa tirar o dinheiro da pobreza, que serviria para comprar comida, enquanto os recursos dos impostos, taxas e emolumentos são violentados no pagamento de propaganda mentirosa que – não tenham dúvida – enriquece muita gente.

A filosofia de governo de uma cidade de quase três milhões de habitantes, quase todos pobres, deve visar o beneficio da população, não os grandes empreendedores imobiliários, que hoje dispõem livremente da orla marítima para multiplicar seu capital e deixar os problemas de trânsito, água e energia para quem queira assumir depois do dilúvio.

Luís Augusto Gomes - Por Escrito

http://www.porescrito.com.br